Jovem faz mastectomia total para evitar câncer de mama, mas é diagnosticada com tumor maligno no fígado


O câncer de mama é um problema extremamente perigoso que afeta muitas mulheres em todo o mundo. Pensando nisso, uma mulher tentou evitar o aparecimento da doença realizando uma mastectomia dupla, mas acabou adquirindo outro câncer.

Kate Parker era ainda criança quando viu sua mãe falecer em decorrência de um câncer de mama. Anos depois, a mulher também precisou se despedir de uma tia por conta da mesma doença, o que deixou a moça com o psicológico abalado.

Para evitar sofrer de câncer de mama futuramente, assim como suas parentes, Kate decidiu, aos 28 anos, se submeter a uma mastectomia dupla, ou seja, retirar as duas mamas com a intenção de se livrar da possibilidade de ser acometida pela enfermidade.

“De jeito nenhum eu queria enfrentar o que minha mãe e minha tia tinham. E, embora meu pai seja um homem de poucas palavras, ele concordou que era uma boa ideia“, disse Kate, que passou pelo procedimento em 2016.

A mulher conta que a cirurgia ocorreu como era esperado, mas ficou com uma infecção na pele ao redor dos seios. Os médicos, então, prescreveram para Kate alguns comprimidos. Porém, os remédios não resolveram a situação.

A jovem passou a se alimentar de forma mais saudável e se exercitar, mas estranhou o fato de não ter tanta fome quanto antes: “Um médico explicou sem rodeios que se eu não melhorasse, não haveria nada mais que eles pudessem fazer por mim“, disse Kate.

Foi sugerido à jovem que ela realizasse exames de sangue para investigar o que estava de fato acontecendo em seu corpo. Os resultados mostraram que ela estava com os níveis de função do fígado elevados.

Kate passou por um ultrassom e descobriu ter um tumor de 12 cm por 8 cm no fígado. Ela realizou uma cirurgia de remoção e teve grande parte do órgão retirado, e descobriu que o tumor era maligno.

A doença se espalhou e os médicos nem conseguiam mais ver o intestino de Kate. Agora, mesmo com o problema avançado e inoperável, a jovem acredita que pode ter uma melhora com um novo tratamento chamado KRAS G12C.

O primeiro procedimento com relação ao tratamento novo deve ocorrer em poucas semanas e Kate aguarda ansiosamente para saber se funcionará bem.

A americana conta que pretende viver com mais emoções, considerando que seu diagnóstico não foi otimista. Ela diz que quer viajar, curtir momentos simples e diz que compartilhou sua história para aumentar a conscientização das pessoas sobre a doença.










Fonte: 1NEWS

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem