Últimas

Seas celebra aniversário dos CECFs Padre Pedro e Magdalena destacando compromissos de ambos com as famílias de Manaus

O Governo do Amazonas, por intermédio da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) celebra, nesta segunda-feira (20/12), os 10 anos de criação do Centro Estadual de Convivência da Família (CECF) Magdalena Arce Daou, localizado na Avenida Brasil, zona oeste, e os 14 anos do Padre Pedro Vignola, localizado na Cidade Nova, zona norte.


Os dois equipamentos públicos se somam a outros cinco que o Governo do Estado mantém em outras zonas da capital amazonense, criados com a finalidade de propiciar às famílias e aos idosos, principalmente que se encontram em situação de vulnerabilidade, uma política de Proteção Social Básica visando a convivência e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.

Com o objetivo de promover a integração de famílias e comunidades, os centros oferecem uma gama de oportunidades para jovens e adultos, incluindo cursos profissionalizantes, atividades esportivas, além de música, teatro e dança. O mesmo acontece com os idosos, que podem participar de grupos de convivência, bem como de atividades voltadas para a promoção da saúde, bem-estar e socioeducativas. O foco das ações é melhorar a qualidade de vida da comunidade na qual estão inseridos.

Dentre os serviços oferecidos aos comunitários estão atividades esportivas, como hidroginástica, pilates, futebol; na parte cultural oferecem teatro, danças, zumba e aulões de ritmos. Na parte educativa, os CECFs oferecem uma diversidade de cursos em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), visando a qualificação profissional de jovens, adolescentes e adultos. Em datas comemorativas são oferecidas sessões de embelezamento, com limpeza de pele, maquiagem e esmaltação.

A coordenadora do Projeto Rede de Proteção da Seas, Ítala Rodrigues, destacou que “Os Centros de Convivência, neste período de pandemia, estiveram com as suas atividades reduzidas, cumprindo os Decretos e protocolos de segurança, mas, mantiveram os atendimentos de escutas qualificadas, principalmente para os idosos que por fazerem parte do grupo de risco, precisaram ser protegidos, mantendo o isolamento social e com isso, enfrentaram uma série de insegurança causadas pelo medo, por essa nova realidade de convivência” informou.

As atividades foram, na maioria remotas, através das Redes Sociais e Grupos de WhatsApp, mas, aconteceram, cumprindo o Plano de Trabalho Anual.

Para Ítala Rodrigues não é possível deixar de celebrar esses aniversários, dos dois Centros, porque além do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, oferecem as atividades dos parceiros, algumas já presenciais, SEC, Cetam, FAAR, FUnATI e Sejusc e este ano com um novo parceiro, a SES que em parceria com a FAAR e a Seas implantaram o Projeto RespirAR, que oferece fisioterapia e atividades físicas para as pessoas sequeladas da Covid-19. “Ou seja, os Centros atendem a todos, crianças, adolescentes, adultos, idosos, pessoas com deficiência e até pacientes de fisioterapia. É um aparelho da assistência com um leque de atividades para as famílias”, sintetizou.

FOTOS: Miguel Almeida/ Divulgação/Seas

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.