Cunhã-poranga do Boi Caprichoso sofre ameaças com supostos vídeos íntimos: 'Não me calarão'

Cunhã-poranga do Boi Caprichoso, Marciele Albuquerque se pronunciou nesta sexta-feira (18) sobre supostas ameaças que sofreu de um portal amazonense.





 
O veículo teria afirmado que divulgaria um suposto vídeo íntimo da influenciadora, de 28, caso ela não deixasse o cargo - chamado no Festival de Parintins de item.

"A minha luta diária aqui não é só minha. É de tantas mulheres amazônidas que sofrem todos os dias por conta do machismo, preconceito e violência que nos é direcionada. Violência que muitas vezes é corporal ou verbalizada com calúnias, mentiras e xingamentos", começou ela em seu Instagram.

"Quando eu entro na arena defendendo um item do @boicaprichoso eu não levo só a arte comigo, também levo a batalha de muitas manas, carrego as dores e os sonhos de milhares. Carrego a herança dos meus antepassados, da minha família e da nossa história. O ônus é ser escudo, vitrine e essa exposição gigante, de acharem que podem falar da nossa índole e dos nossos corpos de toda maneira e com inverdades infundadas. O bônus é o carinho, a força que recebo e a vontade de continuar lutando por tantos e por todas. Obrigado minha nação, ao meu Boi Caprichoso e a todos que estão me defendendo de tantas, e das piores, mentiras que já fizeram com o meu nome. Não me calarão. Machistas não passarão!", concluiu a cunhã-poranga.


Instituição se proncuncia

Em nota divulgada nas redes sociais, o Boi Caprichoso apoia Marciele e repudia a suposta publicação do veículo. Leia:

Nesta quinta-feira, um portal de notícias de Manaus divulgou ameaças a uma de nossas vitoriosas itens femininas. Em tom de falso moralismo e machismo escrachado, ameaçam divulgar supostos vídeos íntimos, como parte de uma chantagem para abalar seu relacionamento. É lamentável que com todos os avanços dos últimos anos, no que tange a violência de gênero, episódios como esse continuem se repetindo. E é ainda mais impressionante que outros blogs e portais diretamente ligados ao Festival de Parintins – e que deviam servir para divulgar nossa arte e nossa cultura – se prestem a um expediente tão baixo e repugnante.

Mas parece que as vozes femininas ainda não foram suficientemente ouvidas. E por isso precisamos potencializá-las. O corpo da mulher pertence a ela mesma! A conduta de uma mulher não está sob o escrutínio de quem quer que seja e sua conduta não precisa do aval dos vigilantes da falsa moral e dos bons costumes. Estamos do lado que sempre estivemos e defenderemos sempre a liberdade das mulheres contra todo o tipo de opressão. Por isso nos solidarizamos profundamente com Marciele Albuquerque, na certeza de que ela certamente vencerá na Justiça essa gente que recorre a argumentos tão chulos para constrangê-la e, na arena, onde mais uma vez dará um show de talento para toda a nação azul e branca.

Em tempo, repudiamos de forma veemente o baixo jornalismo e a imprensa que se presta ao jogo sujo da fofoca e da calúnia. Estamos certos de que o único lugar que lhes cabe é a lata do lixo da história.

 

Boi Caprichoso emite nota de repúdio contra ameaças a Marciele Albuquerque, sua cunhã-poranga  (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Boi Caprichoso emite nota de repúdio contra ameaças a Marciele Albuquerque, sua cunhã-poranga  (Foto: Reprodução/Instagram)

Boi Caprichoso emite nota de repúdio contra ameaças a Marciele

Albuquerque, sua cunhã-poranga (Foto: Reprodução/Instagram)

 



Apoio do presidente



Presidente do Boi Garantido, Jender Lobato usou seu perfil pessoal para apoiar o item. "Minha solidariedade à cunhã-poranga @marciele.albuquerque pela violência sofrida nas redes sociais com publicações sensacionalistas, mentirosas e que atentam contra uma mulher ativa nas lutas pelas causas sociais, indígenas, amazônicas, e que sempre esteve ao lado de um povo que sempre sofreu com esse tipo de violência. Marciele, estamos contigo. Conhecemos seu coração e esses ataques serão combustíveis para o título do festival e sua vitória, pois se tentaram te atingir para desistir do Festival, não deu certo, e todas as providências serão tomadas", assegurou o presidente.

 

Marciele Albuquerque e Jender Lobato (Foto: Reprodução/Instagram)

Marciele Albuquerque e Jender Lobato (Foto: Reprodução/Instagram)

 



Apoio da torcida contrária


O perfil Legião Vermelha, dedicado à torcida para o Boi Garantido, também fez uma publicação de apoio a Marciele apesar da rivalidade no Festival. Leia:

É preciso entender que têm causas que estão acima de qualquer rivalidade bovina, notadamente quando envolvem ataques que atentem diretamente contra os direitos fundamentais de cada indivíduo.

O Festival de Parintins foi - e ainda é - estigmatizado quanto à sexualização, no qual desumaniza e oprime todos os artistas que compõem a festa. Essa problemática não é restrita ao movimento cultural referenciado, tendo atingido diversas expressões culturais do país durante muitos anos. Ressalta-se que é notório que as mulheres são particularmente atingidas por esse revés, considerando a estrutura da sociedade brasileira, que permanece na seara patriarcal.

Diante disso, tendo em vista os ataques caluniosos sofridos pela cunhã-poranga do boi contrário, Marciele Albuquerque, prestamos toda nossa solidariedade e respeito à artista.

 

Fonte: Quem

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem