Idosos acima de 80 anos devem receber segunda dose de reforço contra Covid-19

Brasil — O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (23), que o reforço para esse público segue para a população com 80 anos ou mais. E para quem já completou às três doses, sendo a última no intervalo de 4 meses conforme orientação. A nova etapa da imunização já iniciou em pelo menos sete estados entre eles: São Paulo, Espirito Santo Mato Grosso do Sul, Amazonas, Pará, Rio Grande do Norte e Mato Grosso. Segundo o Ministério da Saúde, o acompanhamento a necessidade da aplicação da segunda dose de reforço em outras faixas etárias está em análise e as recomendações podem ser revistas a qualquer momento.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Idoso recebe vacina contra covid – Foto: Divulgação

No Amazonas o Governador Wilson Lima anunciou a campanha da quarta dose, apenas para pessoas acima de 70 anos. Segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), o estado tem 60,4% da população total do estado com pelo menos duas doses da vacina. Em Manaus, o número é um pouco mais alto: 67,87%. No entanto, os índices ainda não são considerados ideais pelos especialistas na área, principalmente entre as pessoas que se enquadram como imunossuprimidos.

Sobre a Imunossupressão

Pessoas acima de 18 anos com imunossupressão grave devem tomar às três doses do esquema básico contra a covid-19, com intervalo de quatro ou oito semanas, conforme recomendação.

Segundo as orientações do Ministério da Saúde, são consideradas pessoas com imunossupressão grave as que se enquadrem em alguma das situações abaixo listadas:

I – Imunodeficiência primária grave

II – Tratamento de quimioterapia para câncer

III – Transplantados de órgãos sólidos ou de células-tronco hematopiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras

IV – Pessoas vivendo com HIV / AIDS

V – Uso de corticóides em doses de 20 mg/dia ou mais de prednisona, ou equivalente, por 14 dias ou mais

VI – Uso de drogas modificadoras para o sistema imune

VI – Uso de drogas modificadoras da resposta imune

VII – Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias

VIII – Pacientes em hemodiálise

IX – Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

Pessoas que se enquadrem na lista devem ter prioridade durante a campanha de vacinação da quarta dose. Os grupos são definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

Vacinação idoso acima de 80 anos

Dose de reforço atrasadas

São Paulo lidera o ranking com mais de 15 milhões de atrasados, depois, seguem Minas Gerais (5,3 milhões), Rio de Janeiro (4,9 milhões), Bahia (3,6 milhões) e Paraná (3 milhões). O levantamento realizado pelo município do Rio de Janeiro, apontou que quase 700 mil adultos não compareceram aos postos de saúde para aplicação da quarta dose de reforço. Em nota a prefeitura do Rio de Janeiro, destacou sobre a importância e necessidade de imunizar pelo menos 70% do público alvo, embora esse número tenha caído para um terço do total estimado.

Eficácia do reforço

Estudos apontam que o reforço da vacina contra a covid-19 aumenta em até 95% a proteção. Mas, ainda não existe comprovação científica que comprove a total eficácia. Segundo o Ministério da Saúde a partir de agora, estados e municípios já podem começar essa etapa da campanha nacional de vacinação para esse público. A estimativa é que 4,6 milhões de brasileiros sejam imunizados, a orientação é que a dose de reforço deve ser aplicada, preferencialmente, com o imunizante da Pfizer e de maneira alternativa com as vacinas da Janssen e Astrazeneca, independentemente da dose utilizada anteriormente. No entanto, a vacinas da Pfizer torna-se suficientes para aplicação neste grupo.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem