​TCE-AM retoma programa Menor Aprendiz e integra 25 adolescentes à Corte de Contas

Vinte e cinco adolescentes com idades entre 14 e 16 anos foram integrados na manhã desta sexta-feira (25) ao quadro de colaboradores do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM). 


A integração faz parte do programa Menor Aprendiz, realizado há 30 anos na Corte de Contas em parceria com a Associação Para o Desenvolvimento Coesivo da Amazônia (Adcam), e retomado após dois anos de interrupção por conta da pandemia de Covid-19.

“Essa é uma oportunidade ímpar para que esses adolescentes entrem no mercado de trabalho já com uma experiência excelente aqui no Tribunal de Contas do Amazonas. Temos exemplos de menores aprendizes que hoje são advogados e alguns até mesmo viraram servidores do Tribunal”, destacou o conselheiro-presidente do TCE-AM, Érico Desterro, ao dar as boas vindas aos adolescentes.

“O que desejamos para eles é que aproveitem esse momento e não deixem de se desenvolver enquanto profissionais e seres humanos”, disse.

As atividades realizadas pelos menores aprendizes terão como foco principal o auxílio administrativo, ajudando os servidores e técnicos da Corte de Contas. A carga horária é de 4h diárias de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h.

Às sextas-feiras os adolescentes terão aulas teóricas em salas de aulas da Adcam. A remuneração mensal dos integrantes do programa será de R$1.212,00, equivalente a um salário mínimo, além de alimentação na sede do Tribunal e auxílio-transporte.

Angela Galvão, diretora de Assistência Social do TCE-AM e coordenadora do programa, destacou que o processo de seleção dos menores aprendizes aconteceu levando em conta principalmente a situação financeira e social das famílias dos adolescentes.

“Durante todo o processo de seleção desses adolescentes nós fizemos um acompanhamento junto às famílias para que os selecionados fossem aqueles que estivessem em uma situação de vulnerabilidade socioeconômica, justamente para que esse programa sirva como uma mudança de vida não só para esses jovens, mas para todos os familiares”, pontuou a coordenadora.

Para o diretor-executivo da Adcam, Payman Agahnejad, a integração dos novos menores aprendizes é um marco. “Tivemos dois anos de interrupção desse programa que é fundamental para a vida desses adolescentes, portanto poder agora retomar um projeto tão bonito é gratificante para todos. Essa é uma parceria que já existe há tempos, nós da Adcam com o Tribunal de Contas do Amazonas, e esperamos que possa durar ainda mais tempo”, disse.

Oportunidade

Agora integrando o programa, o estudante Luan Enzo, de 15 anos de idade e vindo do município de Manaquiri, comentou sobre o sonho de se formar em medicina. Segundo ele, o programa Menor Aprendiz é um primeiro passo para a realização desse sonho.

“Agradeço a oportunidade que estou tendo em poder aprender um pouco sobre o mercado de trabalho aqui no TCE-AM e por poder, nesse desenvolvimento, ajudar minha família até mesmo com o sustento financeiro de casa. Estou bastante animado para iniciar as atividades e poder agora vestir o uniforme e usar esse crachá é motivo de grande orgulho”, disse.

Cesar de Sousa, 61, tio de Luan, revelou o sentimento em comum na família. “Orgulho e felicidade. Essa é uma oportunidade que poucos adolescentes têm na vida. Tenho certeza que ele vai agarrar essa oportunidade e que aqui será o primeiro passo para uma carreira de sucesso”, disse.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem