Vyni nega que sente algo a mais por Eli: 'Era simplesmente uma grande amizade'

Vinicius, o Vyni, participou do "Mais Você" nesta quarta (16) para falar sobre a participação no "BBB22". Ele foi eliminado do reality com 55,8% dos votos na terça.




Um dos primeiros temas abordados na conversa com Ana Maria Braga foi a relação que o brother estabeleceu com Eli.

Vyni afirmou que foi pego de surpresa ao sair da casa e ver que as pessoas achavam que ele sentia algo pelo designer carioca.

"Depois que saí, vi que existia uma ideia, uma interpretação meio que equivocada da amizade que eu tinha com ela, como se existisse algum tipo de interesse, além da amizade, interesse físico, interesse amoroso".

"Não ia nada além disso, era simplesmente uma grande amizade que a gente tinha. Sempre faço isso com meus amigos, sempre me entrego demais, isso em tudo", explicou o cearense.

"Tendo sempre a me entregar de corpo e alma, a me doar, a cuidar muito, ser muito generoso, acolher de verdade e fazer um pouquinho de raiva".

No entanto, no "BBB", Vyni chegou a se declarar para Eli há uma semana, no dia 9 de março: "Eu amo você. E eu não espero que você diga de volta. Eu sei que é difícil para você fazer isso. Eu não me sinto mais magoado ou menos pelo fato de você dizer não".

Eli chorou bastante quando Tadeu anunciou que Vyni estava eliminado.

'Leveza para as pessoas'

Ele também fez um balanço sobre a participação na casa. "Principalmente na última festa, eu realmente enxerguei o meu propósito ali dentro: trazer leveza para as pessoas".

"Eu poderia não ser o mais jogador ou estrategista da casa, mas eu era uma pessoa que eu acertava mas também errava. Podia não ser esse tipo de jogador, talvez seja esse um dos motivos que eu pequei e fui eliminado, mas meu propósito era trazer leveza e alegria".

Vyni também falou diretamente para a comunidade LGBTQIA+ ao ser perguntado sobre o momento em que se assumiu para a família.

"Sempre me deram muito amor, independente de qualquer coisa, porque, no final das contas, é isso que vale. É amor, é se sentir amado", começou o cearense.

"Inclusive se puder dar até um recado para as pessoas que não tiveram essa sorte de serem aceitos pela própria família. Eu nem lhe conheço, não sei o seu nome, nem o que você passa, mas de alguma forma eu amo você, me conecto com você, eu sinto aquilo que você sente. Já senti e sinto todos os dias o preconceito na pele".

 

Fonte: G1

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem