Agentes Comunitários de Saúde da prefeitura farão levantamento de dados para pesquisa sobre saúde bucal em Manaus

Um levantamento para mostrar as condições da saúde bucal da população será realizado na capital, e tem nos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) um importante apoio para a coleta de informações.


Realizado pela Prefeitura de Manaus com o apoio do Ministério da Saúde, o estudo está previsto para iniciar em abril, e como parte da preparação para o trabalho de campo, 11 agentes participaram nesta quinta-feira, 31/3, da fase prática do treinamento, que iniciou no dia 17 de março, na Escola de Saúde Pública de Manaus (Esap).

A gerente da área de saúde bucal da Semsa, Andrea Gomes, explicou que as atividades práticas tiveram o objetivo de avaliar o desempenho dos ACSs na utilização dos tabletes, operacionalização do aplicativo que armazenará as informações e o domínio de técnicas para identificação das residências e da população.

“Os Agentes Comunitários de Saúde vão atuar na captação de informações e a atuação deles será de extrema importância para este trabalho. Estamos muito felizes por conseguirmos formar as equipes, que poderão atuar como multiplicadores de informação. A gente tem uma expectativa muito grande de conseguir concluir todas as fases que são necessárias para poder fazer o levantamento epidemiológico, que é fundamental para fazermos nosso trabalho”, assinalou.

O professor Fernando Herkrath, que atua na Fundação Oswaldo Cruz e na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e é o profissional de referência da região Norte nessa pesquisa, afirmou que o encontro foi produtivo para esclarecer dúvidas e reforçar orientações para que os trabalhadores da saúde possam ir a campo colher informações de qualidade para a composição do estudo.

“Nós reforçamos as técnicas para que os ACSs possam identificar bem o domicílio e seus moradores, como devem percorrer o setor geográfico no qual a casa está inserida e como utilizar o aplicativo em que eles vão registrar essas informações, que serão transmitidas para uma central. Este trabalho vai permitir a seleção daquelas casas, onde de fato, o dentista vai voltar para complementar a pesquisa. Ou seja, o sucesso da investigação está ligado ao trabalho deles”, enfatizou.

A professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ana Paula Queiroz Herkrath, que também está contribuindo para o estudo, assinalou que o levantamento envolve todo o país abrangendo crianças de 5 aos 12 anos, adolescentes dos 15 aos 19 anos, adultos de 35 aos 44 anos e idosos de 60 a 74 anos.

“A partir do conhecimento do cenário da saúde bucal a gente pode fazer proposições de políticas de saúde pública enfocando as reais necessidades dessas populações na área da saúde bucal”, destacou.

A primeira etapa do treinamento foi concluída nesta quinta-feira, 31, e na próxima fase, já no mês de abril, os agentes de saúde vão aos bairros selecionados, onde farão a listagem dos domicílios. A partir dessa seleção, partirão para a identificação das residências que têm pessoas com as idades de interesse para o levantamento.

“A partir desses dados, as equipes (dentista e ACSs) vão visitar as casas para fazer uma avaliação das condições de saúde bucal dos moradores, cumprindo o objetivo da pesquisa, que é o de conhecer como está a condição de saúde bucal da população brasileira”, complementou Ana Paula Queiroz Herkrath.

O Agente Comunitário de Saúde, Mário Abrahim, afirmou que está estimulado para contribuir com o estudo sobre a saúde bucal, apoiando principalmente as crianças.

“Nossa principal função é a atenção primária, é a prevenção. Vai ser muito bom poder verificar as necessidades das pessoas, principalmente com as crianças que estão em fase de desenvolvimento”, frisou.

Fotos - Camila Batista / Semsa

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem