Crianças que se perderam na floresta amazônica recebem alta após 20 dias de internação em Manaus

 Amazonas – Após ficarem 20 dias internados no Hospital e Pronto-Socorro da Criança Zona Oeste (HPSC-ZO), os irmãos Gleiçon Carvalho Ferreira, de 9 anos, e Glauco Carvalho Ferreira, 7, receberam alta da unidade de saúde nesta quarta-feira (06/04), às 10h.

 As crianças deram entrada na unidade no dia 17 de março, após ficarem 27 dias perdidos na floresta em Manicoré (a 332 quilômetros da capital).

Após a transferência em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), as crianças foram acompanhadas por equipe multidisciplinar durante todo o período em que permaneceram na unidade. De acordo com boletim médico, eles apresentaram condições clínicas para a alta hospitalar na terça-feira (05/04).

Ao reconhecer a dedicação da equipe de profissionais responsável por cuidar das crianças, o titular da SES-AM, Anoar Samad, ressaltou também o mérito dos próprios pacientes na recuperação.

“Quero agradecer aos médicos, profissionais de enfermagem, técnicos, nutricionistas, a todos que acompanharam essas crianças. Na verdade, a luta foi deles, o sucesso deve ser atribuído a eles. Chegou o dia da alta, e eles estão muito bem. É uma emoção muito grande para todos nós. Uma história que torcemos e nos esforçamos muito para ter esse final feliz”, enfatizou Samad.

Recuperação de peso – O pediatra Eugênio Tavares, médico responsável pelo acompanhamento dos irmãos, destacou que o quadro de desnutrição vem sendo revertido.

O caçula, Glauco, foi internado com 12kg e saiu com 18,7kg. Já o irmão mais velho, Gleiçon, pesava 18kg quando deu entrada na unidade de saúde, e nesta quarta-feira deixou o hospital pesando 26kg.

“A dieta que a gente faz para eles é especial, diferente da nossa. São alimentos que já são semiprocessados, não em relação a conservantes, mas sim quebrados em partes menores para facilitar a absorção. Com isso eles conseguiram recuperar peso mais rapidamente”, detalhou o pediatra.

O médico informou que Glauco teve apresentou um quadro de insuficiência renal, mas já se recuperou; e que as infecções foram curadas e as lesões de pele estão em fase de cicatrização.

Acompanhamento – As crianças devem retornar para a comunidade indígena Palmeira, em Manicoré, onde moram, na próxima terça-feira (12/04). Após deixarem o HPS infantil da zona oeste nesta quarta (06/040, os dois foram com os pais para a Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai), coordenada pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Manaus, que é vinculado ao Ministério da Saúde.

“No local onde eles moram, eles têm acompanhamento da equipe médica, de enfermagem e odontológica. Eles serão acompanhados normalmente por essa equipe de atenção básica. Agradeço, em nome do Governo Federal, todos os esforços envidados pela Secretaria de Estado, desde a chegada dessas crianças trazidas pela equipe do DSEI, disponibilizando forças para que elas pudessem vir a Manaus”, disse Januário Neto, coordenador do DSEI Manaus.

Fonte: Portal CM7 

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem