Fotógrafo de Balneário Camboriú é preso suspeito de produzir pornografia infantil e vender para deep web

Mais de 120 crianças e adolescentes brasileiras, com idades que variam entre 4 e 18 anos, foram identificadas até o momento.


A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (28), uma operação para desarticular um grupo suspeito de aturar na produção e comercialização de fotos e vídeos de crianças a partir de 4 anos e adolescentes em poses sensuais e eróticas, direcionados à pedofilia em sites no exterior e na deep web ("web profunda", em tradução livre) . O principal fotógrafo do grupo foi preso em Balneário Camboriú, no Litoral Norte.

Segundo a PF, o homem é suspeito de comercializar as imagens, praticar crimes sexuais e "de induzir as modelos a trocarem de roupa em seu carro e em seu estúdio fotográfico". Mais de 120 crianças e adolescentes brasileiras, com idades que variam entre 4 e 18 anos, foram identificadas até o momento na ação.

O homem foi levado para a delegacia de Itajaí e prestará depoimento. Ele estaria sendo investigado pela Polícia Civil catarinense, após uma modelos descobrir que haviam fotos suas à venda sem sua autorização na internet.

As investigações tiveram o apoio da Interpol e da agência norte-americana de segurança, a Homeland Security Investigations (HSI).

De acordo com a PF, os crimes ocorriam desde 2001, quando garotas eram convencidas a serem filmadas e fotografadas com roupas de banho e sem peças íntimas, sob a promessa de que o material seria utilizado para agenciamento de modelos em trabalhos de moda e publicidade, sob o argumento de que as fotos seriam exigência das empresas. No entanto, as imagens eram vendidas em sites internacionais.

https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2022/04/28/pf-mira-grupo-de-sc-que-produzia-imagens-eroticas-com-criancas-a-partir-de-anos-4-e-vendia-para-o-exterior.ghtml

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem