Prefeitura intensifica ações de educação em saúde no Dia Mundial de Luta contra a Malária

No Dia Mundial de Luta contra a Malária, nesta segunda-feira, 25/4, a Prefeitura de Manaus intensificou as ações de educação em saúde, para sensibilizar a população sobre as formas de transmissão, cuidados e tratamento da doença. O trabalho foi realizado no terminal rodoviário de Manaus, na zona Centro-Sul, na barreira da AM-010, zona Norte, comunidade Nassau, zona Leste, e na escola municipal Irmã Serafina Cinque, zona Oeste.


Os agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) distribuíram folhetos e reforçaram as orientações sobre os principais sintomas, a importância do diagnóstico precoce e o tratamento, disponibilizado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O chefe do Núcleo de Controle da Malária da Semsa, João Altecir Nepomuceno, explicou que a data foi criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) com o objetivo de reforçar que o combate à malária é um trabalho intensivo e global.

“Em Manaus, a prefeitura escolheu os pontos de concentração de pessoas que se deslocam pela zona rural de Manaus, área de maior incidência da doença. A malária é transmitida pelo mosquito Anopheles darlingi, que está mais presente na área rural e este fator, somado à circulação da população por essas áreas à procura de balneários, retiros religiosos, sítios, além das pessoas que moram nessas regiões, cria um cenário que exige a colaboração da população para se proteger e ficar atenta aos sinais”, destacou.

Durante o trabalho de orientação, os agentes de endemias enfatizaram a importância de se evitar a exposição ao mosquito no horário das 18h até as 6h, horário em que o vetor circula com mais frequência. O uso de repelentes, mosquiteiros e telas de proteção nas casas também foi aconselhado.

A chefe do setor de Educação e Saúde e Mobilização Social da Semsa, Lilian Paula Zacarias, alertou sobre os principais sintomas da malária, com destaque para a febre no período da manhã e à tarde e suores acompanhados frequentemente de calafrios.

“Apresentando um desses sinais e sintomas a pessoa precisa procurar uma das nossas unidades de saúde onde os profissionais farão o teste para saber se são referentes à malária e, em caso positivo, o tratamento já pode ser iniciado em tempo hábil”, frisou.

Dados

Dados do Núcleo de Controle da Malária da Semsa apontam que desde o ano de 2017, os casos de malária caíram 60% na capital. Nos primeiros quatro meses deste ano foram registrados 689 casos, e no mesmo período do ano passado, 771 casos foram notificados, indicando uma redução de 12%.

“Mas é importante acentuar que os fatores de risco continuam existindo e a população precisa nos apoiar evitando o contato com o mosquito”, disse Lilian Zacarias.

Dando continuidade às ações pelo Dia de Luta contra a Malária, as equipes da Semsa promovem, na quinta-feira, 28/4, sensibilização sobre a doença na escola municipal Arthur Virgílio Filho, no quilômetro 15, BR-174, zona rural de Manaus.

Fotos - Camila Batista / Semsa

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem