Prefeitura promove oficina ‘Exercitando a Memória’ para frequentadores do parque do Idoso

A Prefeitura de Manaus abriu, na tarde desta terça-feira, 5/4, no Parque Municipal do Idoso (PMI), bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul, a primeira oficina “Exercitando a Memória”.


A capacitação é uma forma de auxiliar os idosos no desenvolvimento de técnicas que contribuam para retardar a progressão de processos de demência, permitindo um maior controle e autonomia de suas funções. Participam desta primeira turma, 20 alunos, frequentadores do PMI.

A oficina, que se estenderá até 21/6, está sendo realizada pela Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), vinculada à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad), em parceria com a Fundação Municipal de Apoio ao Idoso Dr. Thomas (FDT), e foi definida durante o Levantamento de Necessidades de Capacitação (LNC), dentro da temática de “Atenção ao Idoso.

O secretário da Semad, Ebenezer Bezerra, explicou que a finalidade da oficina é estimular as habilidades dos idosos, principalmente quanto à linguagem e às atividades de rotina. “Nós sabemos que o processo de envelhecimento requer cuidados especiais, com o corpo e com a mente, e o estímulo à memória é fundamental para que o processo de demência, em pessoas com a idade mais avançada, seja retardado e até evitado. Seguindo a orientação do prefeito David Almeida, a Espi, em parceria com a Fundação Dr. Thomas, organizou essa oficina que, em sua primeira edição, está contemplando 20 idosos que frequentam o parque”, destacou o secretário.

A abertura da 1ª oficina “Exercitando a Memória” foi feita pela diretora do Departamento de Capacitação da Espi, Jeânia Bezerra. “Em nome de toda a equipe da Espi, nós desejamos que essa seja uma atividade muito proveitosa”, disse a diretora

A autônoma Ana Meire Neves Cavalcante, 60, decidiu participar da oficina para auxiliar a mãe, de 91 anos, que recebeu recentemente o diagnóstico de mal de Alzheimer, que causa demência. “É uma condição muito difícil, que envolve toda a família. Mas, quando a gente ama, a gente faz de tudo. Então, vamos ver se ela se adapta, porque ela precisa muito estar em movimento, em atividade. A demência dela ainda é em um grau leve e vamos tentar ajudá-la de alguma forma”, contou a autônoma.

A instrutora da oficina é a psicóloga Jane Mayre Martins Praia, graduada pelo Centro Universitário Fametro, especialista em Gerontologia e Família. “A partir dos 50 anos as pessoas já têm quase que obrigação de exercitar a memória. Então, é muito importante essa oficina, porque aqui no parque não só trabalhamos com a estimulação das funções mentais, trabalhamos também com a socialização que é muito importante para o idoso, principalmente agora que nós estamos saindo de uma pandemia. O idoso ficou muito isolado em casa, sozinho, e nesse retorno dele ao parque, a oficina da memória contribui para que ele se reintegre à sociedade e tenha mais qualidade de vida”, ressaltou.

Fotos - Thelson Souza / Semad

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem