Prefeitura promove treinamento para implantação e implementação do Savvis em unidades da capital e do interior do Amazonas

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), promove, de 25 a 27 de abril, das 8h às 18h, o Treinamento para Implantação e Implementação do Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (Savvis) em unidades da capital e do interior do Amazonas. O evento, promovido pelo Savvis da Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), em parceria com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP/AM) e com a Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus), vai capacitar 35 profissionais das áreas de saúde, educação, assistência social e Justiça, para a promoção de uma atenção humanizada à vítima de violência sexual na rede intra e intersetorial de atendimento.


A médica Zélia Campos, coordenadora do Savvis da Maternidade Dr. Moura Tapajóz, esclarece que a violência sexual é considerada um problema de saúde pública por trazer consequências, tanto em âmbito individual quanto coletivo, e observa que as vítimas necessitam de mais locais com atendimento especializado. “O número de locais com atendimento especializado no Amazonas ainda é escasso. Estamos trabalhando para essa ampliação, mas ainda recebemos muitos pacientes vítimas de violência de outras unidades de Saúde de Manaus e do interior do Amazonas”, revela a médica.

Ainda de acordo com a coordenadora, a violência sexual é responsável por casos de gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis, inclusive a Aids, suicídios, depressão, entre outros transtornos psicológicos, cognitivos, físicos e sociais. “Por isso, para atender de forma integrada a vítima, o Savvis utiliza o treinamento como forma de fornecer, para profissionais de toda a rede de apoio, uma visão ampliada sobre a violência sexual, sensibilizando para a importância da integralidade da atenção às vítimas, promovendo o trabalho em rede e estimulando o trabalho em equipe”, destaca a médica.

O enfermeiro Fabrício de Souza Melo, da FVS-RCP/AM, ressalta a importância do treinamento para o aprimoramento dos profissionais quanto ao funcionamento do Savvis. “Nós, da FVS, temos que estar constantemente preparados para atender os municípios do interior, onde o serviço será implantado e implementado ainda este ano. A capacitação tem o objetivo de esclarecer minuciosamente todos os aspectos do processo, para que estejamos sempre prontos para tirar dúvidas e atualizar os profissionais envolvidos”, explica o enfermeiro, que informou que os próximos municípios que receberão o Savvis serão Maués, Manicoré e Novo Airão.

O curso abordará os temas: Implantação do Savvis; Visão geral: breve histórico, objetivos, panorama atual e legislações; Rotina do atendimento ambulatorial e nos casos de urgência; Assistência Farmacêutica; Banco de dados, organização interna do setor e fluxo de atendimento; Aspectos psicológicos do primeiro atendimento; Atuação do Serviço Social e da Enfermagem; Tráfico de seres humanos; Ficha de notificação; Síndrome do Segredo e Danos secundários; Agressores: possibilidades e tratamentos. Também serão realizadas aulas práticas na MMT e uma visita ao Instituto da Mulher Dona Lindu, para orientações sobre Abortamento Legal.

Serviços - A rede de serviços do Savvis, da Prefeitura de Manaus, funciona na Maternidade Dr. Moura Tapajóz, na avenida Brasil, nº 1.335, Compensa, zona Oeste, e atende casos agudos e crônicos de violência sexual em regime de plantão 24 horas, sete dias por semana. O serviço é formado por uma equipe multiprofissional (médico, enfermeiro, psicólogo e assistente social) especialmente preparada para o atendimento prioritário e reservado, inclusive com leitos específicos em enfermaria em casos que se mostre necessária a internação. A orientação é de que o atendimento para casos agudos ocorra em até 72 horas do fato ocorrido. O serviço, no entanto, também acolhe vítimas que estejam fora desse período.

Apesar de o maior número de pessoas atendidas pelo serviço ser do sexo feminino, os profissionais estão capacitados para atender, também, o público masculino, que representa 12% do total de atendimentos. Nos casos agudos (como são chamados aqueles ocorridos até menos de 72 horas antes do atendimento), os pacientes recebem os cuidados necessários para evitar doenças sexualmente transmissíveis, inclusive a Aids, e também a gravidez indesejada, no caso das mulheres.

Além disso, segundo a coordenadora Zélia Campos, é imprescindível que o atendimento psicológico seja precoce, pois auxilia a prevenir ou ao menos minimizar danos psicológicos e emocionais, como, por exemplo, o Transtorno do Estresse Pós-traumático. “Quase metade das vítimas de violência sexual evoluem com transtorno de estresse pós-traumático, uma condição psiquiátrica que comumente causa uma desregulação emocional com sérias repercussões sociais e nos vínculos interpessoais”, afirma.

Fotos - Divulgação / Semsa

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem