Prefeitura promove treinamento para ampliar rede de diagnóstico da tuberculose latente em Manaus

Profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) José Figliuolo, da Prefeitura de Manaus, localizada no residencial Viver Melhor, bairro Lago Azul (zona Norte), participaram, nesta terça-feira, 26/4, da etapa prática do curso de “Aplicação e Leitura da Prova Tuberculínica”, exame destinado para o diagnóstico da tuberculose latente, que ocorre quando uma pessoa se encontra infectada pelo mycobacterium tuberculosis, mas não apresenta a doença ativa.


A partir da etapa prática do curso, que será finalizado na sexta-feira, 29/4, a UBS passará a oferecer o exame, que tem como principal público-alvo os contatos domiciliares de pessoas diagnosticadas com a tuberculose ativa, além de crianças, pessoas que vivem com HIV ou que fazem uso de tratamentos imunossupressores. Em Manaus, outras 18 unidades de saúde já oferecem o exame da Prova Tuberculínica na rede municipal.

Segundo a técnica do Núcleo de Controle da Tuberculose da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), enfermeira Dinah Carvalho, a parte teórica do curso foi realizada no dia 7 de abril, envolvendo 28 profissionais de sete UBSs da zona Norte de Manaus (José Figliuolo, Áugias Gadelha, Arthur Virgílio, Balbina Mestrinho, Sálvio Belota, Frei Valério e Policlínica José Antonio da Silva).

“A etapa prática é a aplicação intradérmica do PPD (derivado proteico purificado), que é uma substância aplicada no braço do paciente e, após 72 horas, o profissional de saúde fará a avaliação para ver se houve ou não reação ao exame, identificando se o resultado é positivo ou negativo para a infecção latente ou a tuberculose latente. Em caso positivo, significa que o paciente foi exposto em algum momento à bactéria que causa a tuberculose, mesmo não apresentando sintomas, e deve iniciar o tratamento para evitar desenvolver a doença ativa no futuro”, informou Dinah Carvalho, que também supervisionou a parte prática do curso.

O treinamento na UBS José Figliuolo, que atualmente realiza o acompanhamento de 23 pacientes diagnosticados com tuberculose, será finalizado na sexta-feira, 29/4, com a leitura da prova tuberculínica, que foi aplicada em um grupo de contatos familiares de pacientes com tuberculose.

“Todas as pessoas com contato íntimo e prolongado com o paciente diagnosticado com tuberculose, principalmente familiares que convivem na mesma residência, devem fazer o exame. Com a capacitação de profissionais da UBS, uma enfermeira e uma técnica de enfermagem, as pessoas poderão realizar o exame na própria unidade de saúde, sem ter que se deslocar para outras UBSs, o que facilita o acesso ao serviço. Além disso, o exame também é utilizado na investigação da tuberculose ativa em crianças menores de 10 anos, o que vai permitir um melhor acompanhamento dos pacientes na Unidade de Saúde”, informou Dinah.

Ampliação

A realização do curso de “Aplicação e Leitura da Prova Tuberculínica” para 28 profissionais de sete unidades de saúde é uma das etapas do trabalho de fortalecimento e ampliação da oferta do serviço na rede de saúde da zona Norte de Manaus.

A técnica responsável pelo Programa de Controle da Tuberculose no Disa Norte, enfermeira Maria Elgete Moura de Lima, explicou que a zona Norte conta atualmente com cinco unidades de saúde (Balbina Mestrinho, Arthur Virgílio, Sálvio Belota, Frei Valério e Policlínica Dr. José Antônio da Silva), que oferecem o exame, mas, que a partir da conclusão da parte prática do curso, as UBSs José Figliuolo, no Lago Azul, e Áugias Gadelha, no bairro Cidade Nova, também vão disponibilizar o serviço.

“O Disa Norte vai passar a ter sete unidades de saúde realizando o exame, para a avaliação dos contatos de pacientes em tratamento para tuberculose. E essa ampliação é muito importante, porque o diagnóstico e tratamento da tuberculose latente é uma das formas de quebrar a cadeia de transmissão. Como a zona Norte é uma área geográfica muito grande, a ampliação do serviço é uma necessidade por causa da distância que o paciente precisa percorrer da residência até uma unidade de referência, o que representaria uma dificuldade a mais”, explicou Elgete.

Para a técnica de enfermagem Fabíola Belém, uma das profissionais que participou do curso na UBS José Figliuolo, a ampliação é mais uma estratégia para contribuir no controle da tuberculose na zona Norte, que foi a área de residência de 612 casos novos registrados de tuberculose no ano passado.

“O novo serviço vai ajudar muito no controle da tuberculose na zona Norte, que tem uma grande população em tratamento da tuberculose. Apenas na nossa unidade de saúde temos 23 pacientes em acompanhamento, então é importante que todos os contatos desses pacientes, que são os familiares próximos, possam ter o acesso facilitado ao exame. E eu considero um orgulho imenso fazer parte dessa rede”, destacou a técnica.

Casos

Em 2021, o município de Manaus registrou 2.321 casos novos de tuberculose. Também no ano passado, 722 pessoas em Manaus iniciaram o tratamento para infecção por Tuberculose Latente.

Entre janeiro e março deste ano, Manaus já havia registrado 542 casos novos de tuberculose, assim como houve o diagnóstico de 166 casos da infecção latente da tuberculose.

O chefe do Núcleo de Controle da Tuberculose da Semsa, Daniel Sacramento, informa que, no período de janeiro de 2018 a fevereiro de 2022, 2.278 pessoas iniciaram tratamento para Infecção Latente da Tuberculose (ILTB) no município de Manaus.

Pacientes com tuberculose latente, explica Daniel, apresentam risco de desenvolver a doença ativa no futuro, o que significa que também poderão ser agentes transmissores da doença em alguma fase da vida, e para que isso seja evitado é importante diagnosticar a tuberculose latente, o que pode ser feito com a realização da Prova Tuberculínica, e iniciar o tratamento do paciente.

“A Semsa tem trabalhado para a ampliação da rede de diagnóstico da tuberculose. Somente em 2021, 722 pessoas iniciaram o tratamento para a infecção latente, o que representou aumento de 384,5% em relação ao ano de 2018, resultado de um trabalho contínuo para o controle da tuberculose em Manaus”, destacou Daniel Sacramento.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem