VEJA VÍDEO: Revoltados com o Governo Wilson Lima, moradores tiram dinheiro do próprio bolso para consertar rodovia AM-010

Grupo de itacoatiarenses se mobilizou para jogar barro na tentativa de dar mais trafegabilidade na rodovia


Motoristas, caminheiros e taxistas de Itacoatiara realizaram uma ação na rodovia AM-010 (no trecho dentro do município) para tentar amenizar o transtorno causado pelos buracos em decorrência da paralisação da obra de reforma executada pelo Governo do Amazonas. A obra é alvo de inquérito por parte do Ministério Público Federal (MPF) e custa R$ 366 milhões, sendo R$ 214,9 milhões do governo federal e R$ 151 milhões do Estado do Amazonas.

Segundo o vereador itacoatiarenses e advogado Arnold Lucas, um grupo de moradores se uniu para adquirir barro para tapar provisoriamente os buracos e crateras da rodovia na tentativa de dar mais condições de trafegabilidade no local. “Onde o Poder Público não faz a sua parte, a população revoltada com tanto descaso vai lá e faz. Com a ajuda de empresários e várias pessoas se mobilizaram em Itacoatiara, para jogar pelo menos barro para tentar amenizar a situação da AM-010, que está horrível, intransitável”, comentou o parlamentar.

Presidente da Associação dos Taxistas de Itacoatiara, Frank Rebelo, disse que ao menos o barro colocado na buraqueira da estrada dar mais condições de trafegabilidade no local.

“A gente tinha visto e feito outras manifestações tentando sensibilizar o governo pelo descaso da nossa estrada. E o que nós queríamos na verdade era isso aqui, um serviço simples, mas que dá trafegabilidade. Nós tiramos um dia para fazer essa boa ação de tapa-buraco”, comentou o taxista.

O taxista Antônio Santos disse que mesmo sem os equipamentos necessários para compactar o barro no buraco, os motoristas envolvidos na ação de tapa-buraco realizaram um trabalho coletivo ante ao descaso do Governo do Amazonas.

“Estamos sem rolo e quem está servindo de rolo é o ônibus. E se ninguém fizesse a família deles não chegava perto da gente. E agora na Semana Santa, não tem como chegar na cidade”, disse o profissional.

Nas redes sociais, moradores de Itacoatiara demonstraram revolta contra o governador Wilson Lima (UB), responsável pela execução milionária da obra. “Sai fora governador e políticos que Itacoatiara não precisa de vocês”, escreveu Silvio Elias Guedes.

“O governador quando vem a Itacoatiara só vem de avião. Ele está ‘preocupado’ com o AM-10”, escreveu Nilo Pereira.

“Dinheiro público foi liberado para a tal modernização. E agora o povo tem de botar a mão no bolso novamente? É melhor não ter representante público. Revoltante”, escreveu a internauta Cris Neves.

Protesto

No dia 28 de março, motoristas de Itacoatiara, Silves, Itapiranga, protestaram no quilômetro 169 da rodovia AM-010 contra as más condições da estrada que liga a capital do Amazonas aos municípios. Segundo eles, acidentes já provocaram a morte de várias pessoas, em função da precariedade do asfalto em vários trechos.

Seis meses após o governador Wilson Lima (UB) anunciar o início da obra, o governo do Amazonas pagou menos de 10% do contrato para a reforma dos 250 quilômetros da rodovia Manaus-Itacoatiara (AM010), de acordo com informações no Portal da Transparência do Estado. O anunciou do início da obra foi feito em agosto de 2021, quando o governador prometeu entregar 100 quilômetros prontos até o final do ano e a geração de 10 mil empregos com a obra, o que não aconteceu.

A obra, inclusive, já é alvo de investigação no Ministério Público Federal (MPF) para apurar as eventuais irregularidades. O contrato do serviço é do Consórcio AM-010, formado pelas empresas Pomar Comércio de Derivados de Petróleo e Construção Eireli (50%), Compasso Construções, Terraplanagem e Pavimentação Ltda. (10%), Iza Construções e Comércio Eireli (10%), Ecoagro Comércio e Serviços Ambientais Ltda. (20%) e Best Transportes e Construção Ltda. (10%).

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem