CABELOS BRANCOS FARÃO A DIFERENÇA NAS ELEIÇÕES DE 2022

Em entrevista concedida na noite deste sábado (28), ao podcast Espia Só, apresentado por Rafael Medeiros, o ex-governador e pré-candidato a deputado estadual pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS-AM, José Melo foi categórico ao afirmar que nas eleições de 2022 o eleitor deverá priorizar a experiência.


Ao analisar o cenário político, Melo enfatizou que não haverá espaço para apostas ao acaso porque as pessoas estão decepcionadas com os ‘outsiders’ (termo para candidatos fora do meio político) eleitos e que não corresponderam aos anseios populares. “Na eleição passada, os candidatos novatos disseram ‘eu sou o novo, votem em mim, que eu vou fazer o que os outros não fizeram’. Assumiram o poder, mas não conseguiram fazer. O conceito agora é no sentido inverso. Tem muita gente dizendo, vamos botar as mãos nos velhinhos porque eles têm a experiência e já mostraram que sabem administrar”, disse José Melo.

O político experiente não minimizou a força da máquina administrativa coordenada pelo governador de primeiro mandato, Wilson Lima (UB), mas enfatizou que os indicadores (pesquisas eleitorais que mostram o ex-governador Amazonino Mendes liderando a corrida eleitoral) demonstram que há grande probabilidade do grisalho líder político conquistar o quarto mandato como chefe do executivo amazonense. “É claro, que todas as probabilidades indicam que haverá polarização entre o Amazonino e o atual governador. A força do governo é grande. Se nenhum fato novo acontecer, o Amazonino ganha esta eleição. Ele tem boa aceitação em Manaus e a rejeição é a menor de todos outros candidatos que estão na liderança das pesquisas”, analisou Melo.

Quanto ao interior, o professor José Melo acredita que a massificação da candidatura conquistará os votos necessários para a vitória. “Ele (Amazonino) é muito conhecido no interior. Falta apenas reavivar esta lembrança na memória das pessoas. Acho que o eleitorado vai apostar na experiência, na vivência, vai creditar o voto nas pessoas de mais maturidade”, reiterou Melo.

Ao falar sobre a sua própria pré-candidatura a deputado estadual, professor Melo (como também é conhecido por sua vasta experiência e formação na área educacional) confia na tendência mundial para voltar à cena política com um mandato eletivo. “Mais de 90% dos dirigentes mundiais têm cabelos brancos, não é por outra razão. Cabelo branco significa experiência, muita ponderação, observação e ação com base em chances reais de um projeto ser bem sucedido”, destacou.

Ele recomendou ainda que o eleitor seja mais exigente antes de digitar o número na urna eletrônica. “Discurso vazio, sem sentido, não vale não. O que o candidato vai defender para gerar emprego e renda para a minha família é o que conta. O que o candidato vai fazer aqui no estado do Amazonas para 17% dos jovens que não tiveram o primeiro emprego? Como vai tirar quase 22% das pessoas adulta que estão trabalhando na informalidade e querem emprego formal? Eu acho que o eleitorado primeiro precisa ter esta pergunta respondida para depois escolher o seu candidato”, disse. Ele complementou: “candidato que não tiver proposta factível de executar, aquele que diz: vou construir um bilhão de casas, corra deste. O eleitorado precisa aprender a escolher com base em critérios concretos, não em fantasia. A má escolha, a má semeadura é péssima para a colheita”, destacou.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem