Deputado denuncia situação caótica no Hospital Platão Araújo, na Zona Leste de Manaus

O parlamentar destacou que o Governo do Amazonas gastou mais de R$ 4,5 bilhões na Saúde em 2021, entretanto hospitais da rede estadual continuam sem atendimento humanizado


O deputado Dermilson Chagas (Republicanos) denunciou que a rede pública estadual, principalmente as unidades de urgência e emergência, continua com um péssimo atendimento aos pacientes. O parlamentar citou como exemplo o caso do Hospital e Pronto-Socorro Dr. Aristóteles Platão Bezerra de Araújo, localizado na avenida Autaz Mirim, s/nº, no bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

Para comprovar a sua denúncia, o deputado Dermilson Chagas apresentou, no telão do plenário Ruy Araújo, da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), fotos que revelam a superlotação do hospital, que acomoda pacientes, inclusive idosos, em macas sem lençol nos corredores. De acordo com as denúncias recebidas pelo parlamentar, também não há copos plásticos para que pacientes e acompanhantes possam beber água. (Veja vídeo abaixo)

“Cadê o dinheiro da Saúde, cadê o excesso de arrecadação?”, perguntou o deputado Dermilson Chagas, referindo-se aos mais de R$ 4,5 bilhões que o Governo do Amazonas diz ter investido na área da Saúde do Estado em 2021 e aos mais de R$ 13,4 bilhões de saldo referente à arrecadação tributária do período de 2019 a 2021. O parlamentar explicou que as receitas previstas desse triênio eram de mais de R$ 54,9 bilhões e que a arrecadação superou essa expectativa, gerando mais de R$ 68,4 bilhões para os cofres do Estado.


Situação das unidades revelam que faltou investimentos

O deputado Dermilson Chagas disse que o Governo do Amazonas extrapolou os gastos em Saúde que foram aprovados pelos deputados estaduais na Aleam, sem, contudo, melhorar de fato a qualidade da rede hospitalar do Estado. O parlamentar explicou que a dotação inicial aprovada pela Aleam para 2021 foi de R$ 2,6 bilhões, mas o Governo do Estado gastou mais de R$ 4,5 bilhões.

O parlamentar destacou que, pelo volume de recursos utilizados pela gestão Wilson Lima, a rede estadual de Saúde deveria estar melhor estruturada, fato que não aconteceu e que denota que o Estado não tem planejamento. O deputado Dermilson Chagas também criticou que o atendimento não melhorou, apesar do investimento bilionário que o Governo do Amazonas diz ter feito nesse setor.


Deputado pede descentralização da alta complexidade

O deputado Dermilson Chagas disse que, pelo contrário, o número de atendimentos aumentou e a rede estadual de Saúde está inchada, com unidades superlotadas nos dois níveis de serviço, ou seja, tanto na média quanto na alta complexidade, e a prova disso é que a população demora meses para conseguir atendimento para consultas e procedimentos cirúrgicos pelo SisReg.

“Eu vou fazer um indicativo que o investimento na Saúde seja descentralizado para que haja hospitais em municípios-polo da Região Metropolitana, como Manacapuru e Itacoatiara. Isso permitirá que o atendimento seja descentralizado no Baixo Amazonas, cuja população dessa região poderá ser atendida em Itacoatiara, e a população de mais de 20 municípios da calha do Solimões poderá ser atendida em Manacapuru”, explicou o deputado Dermilson Chagas.

O município de Itacoatiara contava, em 2021, segundo a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com 104.046 habitantes. A estimativa da população de Manacapuru, segundo a estimativa para 2021, é de 99.613 habitantes. Com base nessas estimativas, o deputado Dermilson Chagas disse que o povo que habita esses municípios precisa, até por uma questão de locomoção, de hospitais mais próximos dos locais onde eles moram. O parlamentar também disse que os R$ 4,5 bilhões utilizados pela gestão Wilson Lima poderiam ter solucionado vários problemas na Saúde.

“A minha sugestão é que o Governo do Estado faça esse investimento e descentralize o atendimento de alta complexidade nesses municípios, que já têm uma população grande. Assim, a população desses municípios e dos demais que ficam no entorno ou localizados na mesma região possam ser atendidos em locais mais próximos e não tenham que empreender uma longa jornada até à capital para fazer cirurgias e outros procedimentos. Se o governador Wilson Lima tivesse utilizado esses R$ 4,5 bilhões para construir hospitais para descentralizar o atendimento da alta complexidade, esse investimento teria tido mais efeito e minimizado vários problemas da Saúde e da própria gestão dele”, comentou o deputado Dermilson Chagas.

FOTOS E IMAGENS: MÁRCIO

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem