Em evento nacional do PDT, Carol Braz destaca a ameaça aos milhares de trabalhadores que atuam na ZFM

Em 1º de maio, ‘Dia do Trabalho’, a pré-candidata ao Governo do Amazonas alertou sobre o empobrecimento da população.


Durante a comemoração do centenário de Leonel Brizola, realizada neste domingo – 1º de maio –, na sede nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em Brasília, a defensora pública e pré-candidata ao Governo do Amazonas, Carol Braz, destacou em seu discurso, direcionado ao candidato à presidência, Ciro Gomes, a problemática vivida pelo estado com os constantes ataques do Governo Federal à Zona Franca de Manaus. 

“É algo gravíssimo. Em 1967, a ZFM (Zona Franca de Manaus) foi implantada com a promessa de que iríamos desenvolver a capital e o interior do estado. Passou governo, saiu governo e não houve nenhuma mudança na matriz econômica do Amazonas. É por isso que é importante estar no PDT, ao lado de Ciro Gomes, que tem um plano nacional de desenvolvimento e, que já falou a respeito da indústria da saúde, para ser levada para o interior do Amazonas e da industrialização dos nossos municípios do interior, de acordo com a potencialidade do que nós temos em cada um”, destacou Carol.

A pré-candidata esclareceu aos membros do partido de todo país que a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) tem apenas uma intenção: prejudicar diretamente à ZFM no setor de bebidas não alcoólicas. 

“Sobre esse ataque que zerou alíquota do IPI, o interessante é deixar claro que não existe pólo de concentrado nos outros estados, apenas no Amazonas. Ficou claro que é uma conduta apenas para mostrar para o resto do país, que os benefícios do Amazonas prejudicam o Brasil. E, isso não é verdade. Quando houve um ataque ao pólo de concentrados, a Pepsi saiu do Amazonas e não foi pra outro estado, ela foi embora do país, foi para o Uruguai”, disse Carol.

A defensora pública afirmou que o Amazonas precisa de um presidente da República que tenha um olhar diferenciado para as dificuldades enfrentadas pela região assim como para o empobrecimento da população. 

“Ciro sabe a importância de desenvolver o caboclo do interior que tem os mesmos direitos de todos nós que moramos na capital. O Amazonas está esquecido. São 500 mil pessoas que vivem abaixo da linha da miséria. Somos um estado rico, com um povo pobre. E é essa história que o PDT vai mudar, vai mostrar que se importa com as pessoas”, garantiu.

Carol relembrou que as lideranças políticas do partido foram símbolos de autoridades empenhadas a combater as mazelas sociais e de promover as mudanças demandas pela população. 

“Me sinto muito feliz e honrada e com muita responsabilidade porque a história de Brizola, toda a história do PDT, a história de Jefferson Perez (senador amazonense falecido) e do pré-candidato ao Senado, Luiz Castro, um homem que tem um passado, uma história de vida ética e de transparência, aumenta a minha responsabilidade com o povo”, disse.

A pré-candidata comprometeu-se a demandar todos os esforços possíveis para mudar indicadores que revelam a fome e a desassistência. 

“O povo do Amazonas vai sair dessa tristeza, vai sair dessa ausência de respeito. Em um estado que tem um PIB (Produto Interno Bruto) de mais de R$ 20 mil/ per capta, ainda há mais de 500 mil amazonenses vivendo com menos de R$ 150 por mês. Essa é a história que queremos mudar”, afirmou.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem