Escola da Prefeitura de Manaus realiza ação em alusão à campanha ‘Faça Bonito: Proteja nossas crianças e adolescentes’

Para mobilizar, destacar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade para participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes, a Prefeitura de Manaus realizou nesta quarta-feira, 18/5, na escola municipal Eliana Socorro Pacheco Braga, localizada na comunidade Santa Inês, bairro Jorge Teixeira, zona Leste, a campanha “Faça Bonito: Proteja nossas crianças e adolescentes”.


A campanha nacional acontece em todas as unidades de ensino da Secretaria Municipal de Educação (Semed) durante todo o ano letivo.

A ação é desenvolvida pela Gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais (GACPE) da rede municipal de ensino. Durante o evento, a professora e assessora do GACPE, Eliana Hayden, que também é coordenadora do Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, conversou com os meninos e meninas que participaram do evento e explicou a diferença entre carinho e abuso sexual.

“Durante todo o ano letivo, as escolas executam ações de enfrentamento às violações de direitos humanos, e uma dessas violência é a sexual, que geralmente acontece no ambiente familiar, infelizmente. Essa é uma situação muito difícil de identificar, pois muitas vezes a criança não sabe que está sendo abusada. Por esse motivo, a Semed trabalha desde a educação infantil, ensino fundamental, jovens e adultos e até a educação especial”, explicou Eliana.

As crianças da educação infantil fizeram apresentações musicais, e a turma do 5º ano explicou sobre o tema da campanha com um “Semáforo do Toque”, que identifica onde pode ser tocado o corpo, onde não pode e onde deve ter atenção. Para demonstrar os lugares, as crianças utilizaram bolas verdes, vermelhas e amarelas.

“Esse é um tema de extrema importância e que deve ser conversado diariamente na sala de aula de forma adequada para cada idade. A gente imagina que a rede de proteção da criança esteja em casa, mas a gente sabe que muitas vezes isso não acontece e é de suma importância que a gente debata isso nas escolas, para que as crianças entendam que elas têm em quem confiar caso algo aconteça”, comentou a professora do 5º ano, Jéssica Canavarro.

A unidade de ensino atende a mais de mil crianças, da educação infantil ao ensino fundamental 1, que corresponde do 1º ao 5º ano. A aluna Jhessica Almeida Couto, 11, do 5º ano, disse que já sabe o que fazer em caso de abuso. “Minha professora conversa muito com a gente sobre o nosso corpo, que não podemos deixar ninguém nos tocar e se alguém tocar devemos falar para os nossos pais, professoras ou ligar para o disque denúncia, pelo 100”, disse a aluna, que já está consciente do problema.

Fotos - Eliton Santos / Semed

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem