Farmacêutica da SES-AM alerta sobre uso racional de medicamentos

O uso inadequado de medicamentos é um dos principais fatores de risco à saúde no mundo, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). Nesta quinta-feira (05/05), Dia Nacional sobre o Uso Racional de Medicamentos, a farmacêutica Genize Kaoany Vasconcelos, do Departamento de Política de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), esclarece a população sobre as recomendações de melhor uso de medicamentos para evitar danos à saúde.


Dentro desta temática, nesta semana, de quarta a sexta-feira (04 a 06/05), a SES-AM realiza o 1º Simpósio de Assistência Farmacêutica do Amazonas – Estruturação de serviços e organização das ações de assistência farmacêutica na Atenção Primária à Saúde (APS), com o tema “Uso racional de medicamentos”. O objetivo é capacitar farmacêuticos dos 62 municípios do estado. O evento está sendo realizado no auditório da reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Uma das principais causas de agravamento do uso irracional de medicamentos, segundo a farmacêutica, é pela infodemia – grande aumento no volume de informações, precisas ou não, que podem se multiplicar exponencialmente em pouco tempo, devido a um evento específico. Exemplo é o da pandemia de Covid-19, que aumentou o consumo em excesso de vitaminas C e D.

“Como consequência, torna-se cada vez mais difícil encontrar fontes e orientação confiáveis, originando mais um desafio na mitigação na emergência de saúde, principalmente quando, além de ser divulgada nas mídias tradicionais, está associada à amplificação por meio das redes sociais e na internet”, informa Genize Kaoany.

A farmacêutica orienta a população a buscar uso de medicamentos por recomendação profissional e não de pessoas próximas.

“Não use medicamentos indicados por outras pessoas, como amigos, vizinhos e parentes, mesmo que elas digam que tiveram os mesmos sintomas ou sinais que você. Cuidado. Doenças diferentes podem ter sintomas ou sinais parecidos ou até iguais, e você poderá usar um medicamento que poderá prejudicar ainda mais a sua saúde”, alertou.

As recomendações para o uso diário do medicamento, como horários e doses, também devem ser seguidas, conforme as orientações, pois podem atrasar o tratamento e levar ao desenvolvimento de complicações sérias. Kaoany orienta ainda como evitar esses riscos.

“Existem pessoas que não obedecem aos horários das medicações, ‘pulam’ doses, deixam de tomar a medicação por conta própria e, às vezes, confundem seus horários e adiantam sua administração. Nestes casos, o ideal é ter algum tipo de alarme para assegurar a tomada da droga na hora certa. Pacientes que tomam muitos remédios ou que têm dificuldades de memória precisam de alguma marcação visual de seu esquema medicamentoso, que seja claro e conciso”, orientou.

Remédios caseiros – Medicamentos fitoterápicos, os chamados naturais, também requerem cuidados com o uso. A orientação é procurar produtos que tenham sido preparados por uma farmácia de manipulação ou indústria autorizada, seguindo recomendação de um profissional.

“É necessário conferir as condições da embalagem e se o rótulo contém o nome científico da espécie da planta, a concentração e o prazo de validade. Procure sempre o profissional da saúde habilitado para obter orientações sobre o uso de plantas medicinais e fitoterápicos. Cuidado. Acreditar no ditado ‘se é natural, não faz mal’ pode ser perigoso, pois as plantas possuem diversas substâncias que agem no corpo, promovendo ações que também podem ser tóxicas”, alertou.

Adversidade – No surgimento de efeitos adversos após uso de algum medicamento, o paciente deve imediatamente consultar o profissional de saúde que lhe receitou o produto. Se desejar, o paciente pode relatar o ocorrido para Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no endereço: https://bit.ly/3s5JMJM.

“Seguindo os cuidados (citados abaixo), o paciente não colocará em risco a qualidade do medicamento e evitará que ocorram problemas com ele ou com outras pessoas, em especial as crianças, por erro no uso de medicamentos”, disse a farmacêutica.

Cuidados:

• Os medicamentos devem sempre ser protegidos da luz, da umidade e do calor;

• Existem medicamentos que devem ser guardados em geladeira (medicamentos termolábeis). Nesse caso, devem ser guardados em caixa plástica fechada, na parte interna da geladeira (nunca na porta) para evitar variações de temperatura;

• Não deixe os medicamentos no banheiro, na cozinha ou no carro;

• Mantenha os medicamentos em sua própria embalagem (caixa) e com a sua bula;

• Não troque nem guarde a bula de um medicamento na caixa de outro;

• Não amasse ou corte as cartelas dos medicamentos para não perder suas informações ou mesmo dificultar sua identificação;

• Não reutilize frascos ou recipientes vazios de medicamentos para outros fins e nem use outros recipientes para guardar medicamentos;

• Atenção! Mantenha sempre os medicamentos fora do alcance de crianças e de animais.

FOTOS: Rodrigo Santos/SES-AM

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem