Homem que teve filhos com a irmã luta na Justiça para legalizar incesto

 Mundo – Patrick Stuebing, 44, e Susan Karolewski, 37, se conheceram quando ele tinha cerca de 22 anos e ela 15.

 Com a convivência próxima, tornaram-se fisicamente atraídos um pelo outro, se juntaram e tiveram quatro filhos. Poderia ser a história de um casal comum, não fosse por um “detalhe”: os dois são irmãos.

Casal de irmãos com 4 filhos luta na Justiça para legalizar incesto



Um casal formado por dois irmãos luta na Justiça para conseguir legalizar o incesto na Alemanha. Pais de quatro crianças, Patrick Syuebing e Susan Karolewski se aproximaram depois da morte da mãe, quando passaram a dividir o mesmo quarto.

Segundo o jornal britânico The Mirror, a união ilegal dos jovens resultou na produção de bebês, sendo dois dos quatro incapacitados. Apesar disso, o casal garante que a relação é perfeita, e que a Alemanha deveria reconhecer a união de irmãos.

Patrick e Susan, que é deficiente mental, já estiveram diante de um tribunal de direitos humanos em 2012, mas a união não foi reconhecida. O homem chegou a ser preso duas vezes após acusações de incesto.

“Não nos sentimentos culpados pelo o que aconteceu entre nós. Queremos que a lei que torna o incesto um crime seja abolida”, desabafou Patrick, acrescentando: “Nossa mãe não teria aprovado, mas os únicos que devem nos julgar agora somos nós”.

Susan contou que os dois nunca passaram a infância juntos. Isso porque Patrick foi expulso de casa quando ainda era menino, e levado a um lar adotivo, onde passou vários anos. O reencontro se deu apenas quando a mãe deles faleceu.

“Nós nos apaixonamos quando adultos e nosso amor é real. Não há nada que possamos fazer sobre isso. Nós dois fomos atraídos um pelo outro”, disse a mulher.

A prática de incesto, conforme o The Mirror, é punida com morte em países como Irã, Afeganistão, Arábia Saudita, Nigéria e Emirados Árabes. No Reino Unido, envolver-se com irmão pode render prisão perpétua. No Brasil, não é crime manter este tipo de relação.


Fonte: Portal CM7 

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem