Ipiranga publica hoje segundo Relatório de Sustentabilidade com avanços na agenda ESG

A Ipiranga lança hoje (quinta-feira / 12.05), seu segundo Relatório de Sustentabilidade com as principais iniciativas de negócios e seu desempenho ambiental, social e de governança (ESG, na sigla em inglês), relativo ao ano de 2021. 


No documento, a empresa apresenta sua estratégia de atuação, práticas de gestão e também informa os principais desafios do negócio.

“Tenho certeza que terminamos 2021 melhor posicionados para enfrentar os desafios de 2022 e dos próximos anos, incluindo a transformação de longo prazo do setor de energia para acompanhar o movimento gradual rumo à descarbonização da economia”, afirma o presidente da Ipiranga, Leonardo Linden.

Com 18,5% de participação no mercado de combustíveis e 7.104 postos com a sua marca, a Ipiranga investiu mais no ano passado, R$ 807 milhões, do que no anterior, R$ 688 milhões. Grande parte desse investimento retornou aos acionistas em forma de dividendos e alcançou a sociedade como um todo. A empresa destinou mais de R$ 1,5 milhão a programas de responsabilidade social, de enfrentamento da fome e da pandemia de Covid-19.

Em 2021, a Ipiranga reduziu suas emissões totais de carbono em 3% e destinou R$ 176 milhões à compra de Cbios, créditos de descarbonização. A companhia ainda adquiriu os primeiros certificados de energia renovável (I-RECs), provenientes da geração eólica, para compensar o volume de energia consumido no ano passado.

Membro do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), a Ipiranga assinou, em 2021, a carta ‘Empresários pelo Clima’, lançada às vésperas da COP-26, defendendo o protagonismo brasileiro na agenda de enfrentamento às mudanças climáticas.

Agora, a empresa se prepara para inaugurar usinas solares de geração distribuída em postos revendedores de 15 regiões. Os ganhos estimados são de mais de 40 MWh/ano de energia limpa em 530 postos e franquias. Com isso, 11 mil toneladas de CO2e deixarão de ser emitidas a cada ano.

Outro ganho registrado no ano passado foi na área de diversidade e inclusão. A participação das mulheres em cargos de diretoria passou de 16,7%, em 2020, para 30%, em 2021. Em cargos de gerência, a expansão foi de 24,3% para 26,5%, no mesmo período.

Para o futuro, segue o desafio de avançar ainda mais na implementação das melhores práticas sociais, ambientais, éticas e econômicas. “Nos compromete­mos a evoluir a cultura de segurança em todas as unidades de negócio e áreas da empresa. A empresa ainda reconhece que precisa evoluir para que o ambiente de trabalho se torne cada vez mais inclusivo”, diz Linden.

O Relatório de Sustentabilidade Ipiranga 2021 segue as normas as normas da Global Reporting Initiative (GRI), versão Standards, opção Essencial, a publicação também considera as diretrizes do International Integrated Reporting Council (IIRC). GRI 102-46, 102-54

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem