Prefeitura registra aumento de 81% na emissão de certidões de endereço

De janeiro a abril de 2022, a Prefeitura de Manaus, via Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), expediu 655 Certidões de Endereço, documento necessário para quem precisa comprovar o endereço oficial, seja de pessoas físicas ou de pessoas jurídicas.


O número representa um aumento de 81% em relação ao mesmo período de 2021, quando foram emitidos 362 documentos.

Em abril de 2022, foram 153 certidões entregues e, ano passado, no mesmo mês, 116, uma alta agora de 31,8%. A primeira via da certidão é gratuita. O prazo para obtenção do documento também foi reduzido internamente, com novos fluxos no sistema, podendo sair em até um dia útil, caso o requerente apresente todos os documentos solicitados.

A certidão é um documento legal, no qual é oficializado o endereço do imóvel no espaço geográfico do município de Manaus, fazendo a atualização do endereçamento conforme a lei vigente.

“Com o investimento em modernização e ferramentas de eficiência em gestão, o instituto conseguiu reduzir o prazo para emissão do documento. E esse tempo ficou ainda mais célere com tudo digitalizado e respondido de forma virtual, inclusive evitando o atendimento presencial e o deslocamento do requerente em razão das medidas de prevenção à pandemia”, explicou o diretor de Planejamento, arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro.

Em 2015, por exemplo, o prazo médio para receber a certidão era de até 20 dias. Hoje, em até um dia útil, o requerente pode ter a certidão emitida.

Quem precisa da comprovação deve consultar no site implurb.manaus.am.gov.br, na seção “Lista de Documentos”, o que precisa apresentar para fazer o pedido.

Com o requerimento padrão preenchido e com os documentos exigidos, todos digitalizados, o solicitante deve enviar o pedido para o atendimento, para o endereço respostaimplurb@outook.com.

Documentação

Para solicitar o documento, é preciso apresentar requerimento padrão específico da Certidão de Endereço; documentos que identifiquem a matrícula do IPTU; contrato de compra e venda ou outro documento que comprove a posse do imóvel; comprovante de residência; croqui de localização (pode ser feito à mão); contrato de locação, quando for imóvel alugado; contrato social, quando se tratar de empresa. Os documentos devem ser apresentados originais digitalizados.

Caso o requerente tenha dúvidas quanto à formalização do processo, pode entrar em contato direto com a Gerência de Mobilidade Urbana (GMU) pelo e-mail gerencia.gmu@gmail.com.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem