'População do Alto Rio Negro está exposta a piratas dos rios e Estado não faz nada', diz Ricardo Nicolau

O deputado estadual Ricardo Nicolau (Solidariedade) afirmou que a população do Alto Rio Negro está exposta a ação de piratas e cobrou ação efetiva do governo do Estado para combater os criminosos.


A constatação foi feita durante viagem aos municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos, no último fim de semana, para prestar contas do seu mandato e ouvir as principais reivindicações das populações ribeirinha e indígena.

De acordo com o parlamentar, sem atuação firme das forças de segurança na região, ações criminosas que culminaram no assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Philips, ocorrido em Ataiala do Norte, podem se repetir.

“A população do Alto Rio Negro está exposta a piratas dos rios e o governo estadual não faz nada. Não há nenhuma política de segurança eficaz para coibir a ação da bandidagem. Hoje em dia, está cada vez mais difícil navegar nos rios devido aos assaltos às embarcações. Antigamente, se tinha paz nas comunidades, mas hoje não é mais assim. O tráfico de drogas está, infelizmente, no interior do estado corrompendo os jovens. Pode acontecer aqui nessa região o que ocorreu em Atalaia do Norte: a morte de Dom e Bruno é fruto da omissão do Estado que não garante a Segurança Pública para a população que vive no interior", ressaltou.

Explosão generalizada da violência

O deputado disse, ainda, que o Amazonas vive uma escalada sem precedentes da violência, de forma generalizada, conforme evidenciado pelo levantamento divulgado nesta semana pela emissora GloboNews em parceria com o Fórum Nacional de Segurança Pública (FBSP). O documento mostra que o índice de mortes violentas no estado cresceu 52% em 2021 em comparação com o mesmo período de 2020.

Na contramão do país, o Amazonas foi o único estado brasileiro que registrou alta em diferentes indicadores que monitoram a segurança pública. Segundo o Atlas da Violência, também da FBSP, o estado figura atualmente entre as maiores taxas de aumento de homicídios de homens jovens, de mulheres e de indígenas.

“Nos últimos três anos, o governo gastou quase R$ 6 bilhões na segurança e, mesmo assim, o Amazonas segue na contramão do país com esse aumento de 52% das mortes violentas. É inadmissível que, mesmo com tanto dinheiro, o nosso estado seja destaque negativo na segurança”, ressaltou Ricardo Nicolau.

Intervenção federal

Na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), tramita há quatro meses, o Requerimento nº 577/2022, de autoria de Ricardo Nicolau, que pede intervenção federal na segurança pública do Estado após o aumento de 54% no índice de mortes violentas em 2021 em comparação com o ano passado. O documento precisa ser analisado pelo plenário da Casa.

Foto: Marcelo Cadilhe

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem