Prefeitura aumenta número de câmeras de monitoramento espalhadas pela cidade

A Prefeitura de Manaus começou a instalar mais câmeras de monitoramento pela cidade.


O objetivo é ampliar a cobertura urbana para antecipar crises e gerenciar de forma mais ágil, situações que fujam da rotina dos serviços públicos municipais. Até o final do mês de julho, 106 novas lentes deverão estar integradas na capital. As câmeras possuem sistema LPR de leitura de placas de veículos e reconhecimento por aparência, facilitando a fiscalização dos serviços de trânsito e segurança, por meio da Guarda Municipal.

De acordo com o secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semseg), Sérgio Fontes, o monitoramento é um grande aliado da Guarda Municipal.

“As câmeras nos dão um grande reforço no entorno dos principais prédios e praças do município. Muitas vezes, o guarda está fazendo a ronda de um lado, e o suspeito está do outro na espreita. Com o monitoramento, nós conseguimos cobrir todos os lados e garantir a segurança do patrimônio público e de quem ele utiliza, como nos determina o prefeito David Almeida”, disse Fontes.

A central de monitoramento da capital amazonense funciona no Centro de Cooperação da Cidade (CCC), localizada na avenida Umberto Calderaro, esquina com avenida Efigênio Sales, no Parque 10 de Novembro, e atua hoje com 53 lentes de alta tecnologia auxiliando diretamente os principais serviços municipais. O prédio, que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, realiza a integração das pastas, gerenciando situações de crise e grandes eventos que impactem a normalidade da cidade.

“O Centro de Cooperação da Cidade tem atuado no monitoramento dos serviços municipais, utilizando a tecnologia em favor do cidadão, e a integração entre os serviços tem sido o diferencial da gestão, que vem desburocratizando o sistema e garantindo uma resposta mais ágil nos serviços”, salientou o superintendente do CCC, Sandro Diz.

O CCC também trabalha em cooperação com o governo do Estado, garantindo o monitoramento de grandes operações e eventos, como a Central Integrada de Fiscalização (CIF) da Sucata, que investiga estabelecimentos que compram e vendem fios de cobre sem procedência.

Fotos – Altemar Alcântara / Semcom

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem