Prefeitura de Manaus tem alta de 14% em emissão de alvarás de construção de janeiro a maio

Somando mais 113.012,48 metros quadrados para novos alvarás de construção, a Prefeitura de Manaus chegou à marca de 2.095.830,00 metros quadrados no licenciamento urbanístico, em maio deste ano, conforme dados do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb).


Em maio, a autarquia emitiu 86 novos alvarás de construção, tendo um acumulado no ano de 357 documentos, 14% a mais do que os 313 registrados em 2021, no mesmo período. Na gestão do prefeito são 1.507 alvarás emitidos.

A indústria brasileira da construção civil elevou no mês passado a previsão de crescimento em 2022 de 2% para 2,5%, apesar de um cenário de inflação e alta de juros, de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

E conforme parâmetros da Cbic, a prefeitura, durante a gestão de David Almeida, impactou na geração de mais de 30 mil empregos diretos e indiretos no “construbusiness” em Manaus, desde obras, serviços, até fornecimento de materiais e insumos.

“O Implurb atua em três eixos, no licenciamento; no planejamento e projetos urbanos; e na habitação e regularização fundiária. Os números refletem o movimento em toda a cadeia que cria um ciclo positivo na produção e geração de empregos e renda aliados à economia, que é movimentada também junto ao comércio, indústria e serviços”, explicou o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

Dados

As certidões de Habite-se foram 72, uma alta de 64% comparando o mês do ano passado, quando a autarquia teve 44 documentos. Em área foram regularizados 68.980,02 metros quadrados em Habite-se e o acumulado em toda a gestão do prefeito é de 1.300.445,93 metros quadrados.

De janeiro a maio deste ano foram mais 273 certidões de Habite-se, uma alta de 48% comparando com 2021, que teve 185 documentos expedidos.

Valente complementa que os números da gestão do prefeito David Almeida são reflexos da eficiência e de metas atingidas com alto impacto na geração de emprego e aumento da renda da população.

“A construção civil movimenta o serviço e o comércio, desde os materiais como areia, cimento, tinta, ferro, itens de acabamento, assim como a indústria desses bens. E os serviços relacionados crescem, com mais transporte, mais alimentação, contratação de engenheiros, arquitetos e outros profissionais”, completou o diretor-presidente.

O Implurb aprovou nos 500 dias de gestão, de janeiro de 2021 a maio de 2022, mais de 2 milhões de metros quadrados em alvarás de construção. Considerando o valor médio usado pelo setor, de R$ 3 mil por metro quadrado, os números vinculados à aprovação representam um valor de R$ 6 bilhões de investimentos na capital.

Fotos – Marinho Ramos / Arquivo Semcom

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem