STJ cobra explicações sobre show de Bruno e Marrone ter acontecido em Urucurituba mesmo após proibição da Justiça

 Amazonas – O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, cobrou informações do presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), sobre a realizações dos shows no município de Urucurituba, visto que o mesmo foi proibido de acontecer pelo STJ.


De acordo com o Conjur, o ministro acionou o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) para a apuração do crime de responsabilidade por parte do prefeito Sabugo, de Urucurituba, nos termos do artigo 1º do Decreto-Lei 201/1967.

Atendendo o pedido do MP-AM na quinta-feira (16), o ministro proibiu a prefeitura de Urucurituba de contratar e promover apresentações da dupla sertaneja Bruno e Marrone e do grupo de pagode Sorriso Maroto, previstos para serem as atrações principais da 17ª Festa do Cacau.

Segundo a promotoria, seriam pagos R$ 500 mil à dupla e R$ 200 mil ao conjunto.

No entanto, após as notícias sobre a apresentação de Bruno e Marrone na noite de quinta, o presidente do STJ decidiu pedir esclarecimentos sobre o descumprimento de sua decisão.

“Registro que, caso os eventos suspensos pela decisão judicial tenham sido custeados com recursos privados, caberia ao requerido comprovar nos autos e solicitar a liberação dos shows ao presidente do STJ”, explicou o ministro.

O prefeito Sabugo (PT), veio ignorando todos os fatores que iam contra a realização do show com o gasto exagerado, deixando até mesmo de atender os pedidos da própria população do município, que ao invés de festas e shows, pediam por assistência básica nos problemas da cidade, e enfrentando até mesmo a Justiça, agora terá que lidar com as consequências.


Fonte: Portal CM7 

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem