Unidades de Saúde promovem atividades de combate à violência contra idosos

Como parte da programação da Prefeitura de Manaus para marcar o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, comemorado no dia 15 de junho, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) promoveu nesta terça-feira, 14/6, no complexo turístico da Ponta Negra, zona Oeste, uma programação direcionada para idosos atendidos na Unidade Básica de Saúde (UBS) Ivone Lima, localizada no bairro Coroado, zona Leste.


A atividade contou com a presença do prefeito David Almeida.

No complexo da Ponta Negra, os idosos, que integram o grupo Com Vida Ativa, participaram de atividades, como dança circular, ação educativa abordando os diversos tipos de violência (psicológica, financeira, negligência, sexual, física e autonegligência) e a importância da autonomia e independência dos idosos.

A profissional de Educação Física da UBS Ivone Lima, Silvia Borges, explicou que a programação foi idealizada para chamar atenção sobre o combate à violência contra os idosos, reunindo os integrantes do grupo, que duas vezes por semana já praticam atividade física na Unidade de Saúde, recebendo orientações para a prevenção de quedas, fortalecimento muscular e participando das ações de Educação em Saúde.

“A questão da violência é um dos temas abordados no grupo de idosos. Mesmo que eles não sofram a violência, conhecem alguém que sofre. Ouvimos vários relatos e por isso é importante conscientizar sobre esse tema. E todo o tipo de violência tem impacto direto na saúde da pessoa, principalmente na parte psicológica, já que a falta de autonomia pode levar a depressão e gerar danos maiores para a saúde, aumentando a dependência”, alertou Silvia Borges.

A atividade na Ponta Negra contou com a participação de idosos como Maria da Conceição Pereira, de 91 anos, moradora da comunidade Ouro Verde, que participa do grupo de atividade física da UBS Ivone Lima desde 2015. Para ela, a atividade física em dois dias por semana na UBS tem ajudado para melhorar a saúde, mas que as orientações sobre o combate à violência contra os idosos são importantes para conscientizar a população.

“Eu amo participar do grupo e gosto mais da atividade física, que reúne o povo todo, quando estou vendo minhas colegas e companheiras. Mas é importante alertar sobre a violência. Graças a Deus, eu tenho os meus filhos, que moram perto e sempre cuidam de mim, mas muitos idosos sofrem violência”, disse Maria da Conceição.

Durante a programação, a chefe do Núcleo de Saúde do Idoso da Semsa, Eliny Rocha, lembrou que as unidades de saúde estão desenvolvendo diferentes ações de conscientização sobre o combate à violência no mês de junho, promovendo atividades de socialização que são essenciais para estimular um envelhecimento ativo e saudável.

“É importante que o idoso esteja inserido na comunidade, que participe de grupos, o que faz com que se torne mais autônomo e independente, e seja protagonista de sua história enquanto pessoa idosa”, destacou Eliny Rocha.

Acompanhando a programação, a gerente do Distrito de Saúde (Disa) Leste, Rosângela Maria Castro da Silva, explicou que as 25 unidades de saúde na zona Leste trabalham com grupos de idosos direcionados para a saúde física e mental, estimulando a socialização. “Participando dos grupos, eles têm reuniões e são envolvidos nos eventos e atividades de educação em saúde nas UBSs. O objetivo é sempre estimular a socialização, com acompanhamento em saúde por uma equipe multidisciplinar que aborda, entre outros temas, o combate à violência contra os idosos”, afirmou Rosângela Silva.

De acordo com a assistente social Maria do Perpétuo Socorro Monteiro, que integra o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), da UBS Ivone Lima, casos de violência contra o idoso são informados na Unidade de Saúde, principalmente situações de abandono ou negligência que são identificadas pelas equipes da Estratégia Saúde da Família.

A partir daí, a equipe multidisciplinar do Nasf faz uma verificação da situação familiar, realiza visita domiciliar e faz o encaminhamento necessário de acordo com cada situação.

“Na maioria dos casos, identificamos situação de negligência ou abandono dos idosos por parte da família. A equipe de saúde procura sempre chamar a família para conversar, mostrar que os idosos têm necessidade da família por perto e que precisam de cuidados. Muitas vezes a situação é resolvida, mas quando não funciona tomamos outras providências, encaminhando para o Ministério Público ou orientamos sobre o atendimento na Delegacia do Idoso ou da Defensoria Pública, que tem área específica para as questões que envolvem os idosos. Também há casos em que é necessário acionar o próprio Conselho Municipal ou Estadual do Idoso”, informou a assistente social.

Foto – Ruan Souza/Semcom e Camila Batista/Semsa

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem