Abracrim-AM apoia advogado impedido de falar com cliente por Capitão da PM

Abracrim participa do Ato de Desagravo, na Sede da OAB/AM, em favor do advogado Deldson Souza de Oliveira  
Nessa quarta-feira (27/07), a Associação dos Advogados Criminalistas do Amazonas (Abracrim-AM) participou do Ato de Desagravo em favor do advogado Deldson Souza de Oliveira, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM), no bairro Adrianópolis. Deldson de Oliveira foi impedido de falar com seu cliente pelo capitão da Polícia Militar, Daivison Anderson Cutrim Soeiro, atitude esta considerada pela Abracrim como inaceitável, absurda e ilegal. 

O capitão violou o direito dos advogados diversas vezes. “O Estatuto da Advocacia teve alterações. O aumento do tempo da pena para quem comete o crime de violações de prerrogativas do advogado é uma das mudanças do Novo Estatuto, antes a pena de detenção era de um a três anos, agora passa a ser de dois a quatro anos”, explicou Vilson Benayon que encaminhou ofício ao comando da PMAM. 

Nos casos como o advogado Deldson Souza de Oliveira, a Abracrim-AM presta total solidariedade e apoio aos advogados criminalistas. Em abril deste ano, a diretoria da ABRACRIM-AM, protocolou pedido de providências contra o mesmo Oficial da PMAM, o capitão Daivison Anderson Cutrim Soeiro que agrediu verbalmente toda a Advocacia Criminal, desrespeitando as prerrogativas funcionais de um outro advogado. 

No dia 13 de abril, deste ano a procuradora de Prerrogativas da Abracrim-AM, Catharina Estrella Ballut  e o presidente Vilson Benayon encaminharam ofício ao Comandante da PMAM, Vinicius Almeida solicitando apuração por meio de processo administrativo disciplinar e seu afastamento cautelar. Na época, o Comandante da PMAM e o Sub Comandante Algenor Xavier, ratificaram a importância do respeito entre as instituições e garantiram que as providências seriam tomadas administrativamente.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem