Moradores do interior destacam ações de Amazonino na área da saúde; Mendes foi o gestor que mais ergueu hospitais no AM

Entre as grandes obras, Amazonino Mendes construiu 47 hospitais no interior do estado, além de erguer unidades de referência em Manaus


Moradores do Baixo Amazonas destacaram o legado erguido pelo ex-governador Amazonino Mendes (Cidadania) na área da saúde, na véspera do Dia do Hospital, celebrado neste sábado (02/07). Durante os mandatos como governador, o pré-candidato da Federação PSDB-Cidadania, que é até hoje o gestor responsável pelo maior número de intervenções na área da saúde, ergueu 47 hospitais no interior amazonense, sendo 18 de referência, além de diversas unidades de alta complexidade em Manaus, como os hospitais João Lúcio e Francisca Mendes.

Há pouco mais de 30 anos, o ex-governador Amazonino inaugurava, ao lado do ex-prefeito de Barreirinha, Esmeraldo Trindade (in memoriam), o Hospital Regional do Município.

Quem relembra a história é um dos primeiros funcionários da unidade, o auxiliar administrativo Carlos Campos, 59. “Foi justamente na época em que eu ingressei no estado. Já existia uma unidade de saúde, que naquele tempo era um ambulatório. Estavam (na inauguração) Esmeraldo Trindade, Amazonino Mendes e o ex-secretário de Estado de Saúde, doutor Euler Ribeiro”, relembra.

Para o servidor, com a inauguração da unidade de média complexidade, a vida do barreirinhense foi transformada, pois antes da construção, os moradores se deslocavam até Parintins para receber um atendimento especializado. “A cidade mais próxima sempre foi Parintins. Nós saíamos daqui naquela época. Era difícil, porque quase não se tinha voadeira (lancha rápida). Nosso meio de transporte é a voadeira. Geralmente, o transporte era de barco (de recreio). Vi vários episódios, como uma mulher grávida que não podia ter o filho em Barreirinha e tinha de ir para Parintins. Era uma correria por uma embarcação, para fretar os barcos”, comenta Carlos, a respeito das dificuldades enfrentadas pelos munícipes naquele período, destacando que o hospital é um legado para a cidade. “Com a construção do hospital, melhorou muito. Até porque não dá para ter a possibilidade de (atingir) 100%, mas eu garanto que melhorou 90% das situações. Sem sombra de dúvidas, é um legado para a cidade”, completou.

Um dos primeiros auxiliares de enfermagem do município, o servidor aposentado Manoel Salgado, 69, destacou que a obra erguida por Amazonino na cidade até hoje representa um investimento de suma importância para salvar vidas na cidade. “Foi um investimento que o governo fez de boa qualidade, já que não tinha e, agora, tem. Graças a Deus, (o hospital) salvou muitas vidas, junto com os médicos, com os enfermeiros e os bons técnicos. Enfim, com uma equipe hospitalar muito boa”, disse o aposentado.

Importância

O pré-candidato Amazonino Mendes reitera que é papel fundamental do gestor público ofertar atendimento com dignidade a quem precisa do sistema público de saúde. O experiente administrador afirma que, enquanto esteve como governador do Amazonas e prefeito de Manaus, sempre deu atenção especial à área da saúde.

“Não se admite em hipótese alguma menosprezar a vida de quem pede por socorro em um hospital público. É papel intrínseco de um governante disponibilizar a melhor estrutura, a melhor equipe médica e todo o aparato necessário para salvar e tratar a vida daquele cidadão, que não sai de casa para ‘visitar’ hospital. Ele vai até a um hospital para tratar uma doença, porque não aguenta mais sofrer. Cabe ao gestor buscar as melhores alternativas para facilitar a vida de quem encara as agruras (aflições) da vida”, comentou o ex-governador.

Ações

Durante os quatro mandatos como governador e três vezes como prefeito de Manaus, Amazonino Mendes deixou a sua marca em quase todos os hospitais da capital e do interior do Amazonas. Foram 47 hospitais construídos em municípios amazonenses, sendo 18 unidades em tratamento especializado.

Foi Amazonino quem construiu os Hospitais Dr. João Lúcio, Francisca Mendes (referência em tratamento cardíaco), Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Cidade Nova. No setor de urgência infantil, foram construídos nas gestões de Amazonino, o Hospital Joãozinho (anexo ao Dr. João Lúcio), os Prontos-Socorros da Criança da Zona Oeste e da Zona Sul, além do Instituto da Criança. O Hospital Infantil Dr. Fajardo também foi reconstruído pelo ex-governador.

Nas suas administrações como governador, foram construídas as maternidades Galileia, Nazira Daou e Ana Braga, esta última inaugurada pelo gestor que o sucedeu. As maternidades Alvorada e Balbina Mestrinho foram totalmente revitalizadas. O Hospital Adriano Jorge (referência em traumas ortopédicos) e as Fundações de Medicina Tropical (FMT) e Centro de Controle em Oncologia (FCecon) foram reformados e ampliados em suas gestões, ganhando o formato que possuem hoje.

Em Manaus, Amazonino criou os Centros de Atenção Integral às Crianças (CAICs) e à Melhor Idade (CAIMI). Na Prefeitura de Manaus, em sua última gestão, ele construiu 68 Unidades de Saúde da Família, as chamadas Casonas, todas equipadas e com equipes profissionais completas.

Foto: Divulgação

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem