O impacto do Metaverso do dia-a-dia do trabalho

Por Robinson Barreto

A cada ano que passa, passamos a descobrir e aderir a novos métodos de interação e comunicação. 


O recente ápice da pandemia que enfrentamos, nos obrigou a perceber que com o auxílio da tecnologia, novos horizontes poderiam ser criados, afinal, o contato virtual usado pelas empresas para o trabalho à distância durante esse período se mostrou uma tendência que vai muito além de plataformas como Skype e Zoom.

É satisfatório para nós imaginarmos que com a tecnologia do Metaverso as interações virtuais se tornarão cada vez mais reais e presentes no dia-a-dia das organizações, proporcionando inovação, praticidade e agilidade para os processos diários, diretamente do conforto de nossas casas. O fato é que os chamados “escritórios virtuais” trarão incontáveis possibilidades para criar um novo ecossistema e forma de trabalho.

Essa tecnologia é uma verdadeira tendência, nos apresentando um mundo imersivo e totalmente novo, se utilizando da V.R (realidade virtual), A.R (realidade aumentada) e a R.M (realidade mista). De acordo com estudos realizados pela PwC (Price WaterhouseCoopers), uma das maiores multinacionais de consultoria e auditoria do mundo com uma rede de firmas composta por mais de 250 mil funcionários pelo globo, é possível que mais de 23 milhões de empregos possam aderir ao metaverso no mundo todo, em um espaço de 10 anos. Vale lembrar também que o mercado do metaverso pode chegar a 1,3 trilhões de dólares até 2030.

Já existem projetos específicos para se ter uma experiência dentro do metaverso. Em 2021, produzido pelo Meta, ex Facebook, a plataforma Horizon Workrooms foi criada para ser o primeiro passo para o futuro. Sua função é oferecer uma sala de reunião totalmente em V.R, que para ser acessada, bastava a utilização do Oculus Quest 22. Após adentrar ao mundo virtual os usuários podem imitar as interações do mundo real e até mesmo abordarem temas profissionais, apresentando gráficos, metas e planejamentos. Toda essa interatividade é possível por meio de seus avatares dentro da V.R.

No ramo do comércio, também encontramos novidades, algumas lojas virtuais possuem unidades no Metaverso, como é o caso de algumas redes varejistas dos Estados Unidos. Nelas você pode passear pelos corredores da loja, coletar produtos nas prateleiras, adicioná-los ao seu carrinho de compras, ler rótulos, encontrar com pessoas dentro do supermercado, etc. Ao finalizar suas compras dentro do metaverso, você pode fazer o envio para seu endereço residencial no mundo real, tornando assim, a experiência de ir ao supermercado algo mais divertido, seguro e sem a necessidade de sair do conforto da sua casa.

Estes novos ambientes imersivos estarão em nosso cotidiano muito em breve, e precisamos estar preparados para as drásticas mudanças que provavelmente chegarão com a popularização do metaverso. Dito isso, devemos nos atentar às novas questões de segurança, afinal, o roubo de dados e informações pessoais será uma das maiores preocupações neste novo espaço social virtual. Lembro que as novas tecnologias exigem novas demandas para a cibersegurança, indo além dos softwares de monitoramento, criptografia, smart contracts e blockchain.

Com as medidas de segurança providenciadas, iremos conseguir desfrutar o máximo dessa inovação, que em alguns anos irá transformar o dia-a-dia das empresas e a maneira com que enxergamos todos os serviços por meio da tradução do mundo real em um ambiente digital totalmente novo. Com o tempo, novos hábitos virtuais serão adotados e nossa maneira de consumir conteúdo, comprar, negociar, trabalhar e estudar será renovada e estabelecida no cotidiano das pessoas.

Robinson Barreto, graduado pela Faculdade Méliès em Design de Animação 3D é Diretor de arte, Motion designer e Generalista 3D pelo Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem