Prefeitura avança em estudos técnicos no projeto do parque Encontro das Águas Rosa Almeida

A união de dois grandes ícones, um da arquitetura mundial e outro da paisagem amazônica, é resultado de um dos projetos estruturantes da gestão do prefeito David Almeida, que segue em pleno desenvolvimento pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb): o parque Encontro das Águas Rosa Almeida, na zona Leste.


Atualmente, o projeto passa por estudos e análises para estabilização do talude, em razão de uma erosão identificada na área, em abril deste ano. Os estudos são de hidrologia e geomorfologia para posterior intervenção.

“Este projeto resgata a valorização de atrativos na zona Leste, como o mirante que dá vista para o Encontro das Águas. Um projeto grandioso no sentido da valorização do patrimônio visual e que respeita a escala de ocupação”, disse o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

A empreitada agrega especialmente um projeto antigo do renomado e internacionalmente conhecido arquiteto Oscar Niemeyer, uma das suas últimas criações ainda em vida e o seu único trabalho assinado para a região Norte.

“O prefeito David Almeida reconhece um gigante da arquitetura e também reconhece o trabalho do ex-prefeito Serafim Corrêa, ao mesmo tempo em que disponibiliza para a cidade de Manaus a combinação de dois ícones, um do desenho arquitetônico e outro da paisagem”, acrescentou. Foi na gestão de Serafim que o escritório de Niemeyer foi contratado para projetar o parque”, ressaltou o diretor-presidente.

Para Valente, o Encontro das Águas tem a mesma importância cênica que tem o Teatro Amazonas e será uma grande atração turística para a região e para a zona Leste. A prefeitura trabalha com a previsão de lançar a licitação para o parque ainda no segundo semestre deste ano.

Platô

No alto de um platô na zona Leste, a vista para o encontro dos rios Negro e Solimões se soma à grandiosidade das linhas do arquiteto, cujo projeto é considerado uma joia.

O trabalho passará por ajustes, composições e alinhamento para o futuro Parque Encontro das Águas Rosa Almeida, no que diz respeito à acessibilidade, rampas, para seguir a legislação atual, e uma parte complementar.

Em 2006, quando a Prefeitura de Manaus contratou Niemeyer, foram feitos o projeto básico e parte do executivo. Com a retomada das tratativas para sua construção, a capital vai ganhar uma verdadeira joia, segundo Valente.

A cúpula do projeto remete a uma oca e a edificação não tem interferência na paisagem. São duas hastes, em concreto, que sobem e se encontram, simbolizando os dois rios, com cores diferentes.

“Passados 16 anos, David Almeida, numa visão estrategista, mostra para a cidade que projetos bons têm que ser resgatados e executados. O Parque Encontro das Águas Rosa Almeida será o primeiro ou segundo monumento turístico do século, de grande visitação local, nacional e internacional”, completou o diretor-presidente.

Homenagens

Com vista privilegiada do Encontro das Águas, o parque receberá o nome de Rosa Almeida, mãe do prefeito David Almeida, que foi uma das vítimas da Covid-19, em 2020.

Distribuído em uma área total de mais de 120 mil metros quadrados, com encostas e grande declividade, o parque tem vista do cartão-postal natural onde percorrem os rios Negro e Solimões. Nele, estão os elementos do projeto original de Oscar Niemeyer, que receberá ainda mirante, centro de artes, museu, restaurante e outros elementos urbanos.

O arquiteto Niemeyer desenhou uma estrutura em concreto armado, na sua assinatura de reinterpretação de materiais modernos e volumes puros, na relação arte-arquitetura. Para o parque, há o contraste geométrico entre formas arquitetônicas orgânicas – a representação dos rios – com a natureza exuberante.

As hastes em concreto armado têm 30 metros de diâmetro e uma lâmina em cima, com cerca de 17 metros de altura, representando os rios Negro e Solimões. A outra parte é um restaurante, também dando curva ao concreto.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem