'Ser velho não é crime'

O pré-candidato ao governo do Amazonas, Amazonino Mendes (Cidadania), divulgou um vídeo em suas redes sociais, nesta quinta-feira (07/07), rebatendo uma série de notícias que questionam sua capacidade de administrar o estado por causa da dificuldade de locomoção que apresenta aos 82 anos de idade.


Amazonino, que ocupou por 4 mandatos a cadeira de chefe do Poder Executivo estadual, colocou em xeque o material divulgado sistematicamente que, de forma preconceituosa, afirma que idosos não dispõem de condições de conduzir a máquina pública. Ele relembrou um marco da história mundial em que um líder experiente foi responsável pela proteção de milhões de pessoas.

“Chega dessa história que o Amazonino é velho. Meus amigos, ser velho não é crime! Nunca foi. O presidente dos Estados Unidos, o inesquecível Franklin Delano Roosevelt, administrou aquele país em plena segunda guerra mundial numa cadeira de rodas porque ninguém administra com as pernas. A gente administra com isso”, afirmou apontando para a própria cabeça, num gesto que simboliza a localização do cérebro e do pleno raciocínio.

O ex-governador reiterou a diferença entre a sua vida pública honesta e a de outras pessoas que ocupam cargos importantes no governo atual, que vivem sobressaltadas com as constantes visitas dos policiais federais. “Eles não podem me acusar dos crimes que eles cometeram. Por isso, ficam falando isso. Quer saber, para mim, é um orgulho saber que eu sou um decano da política. Não tem nada que me desabone. Nunca fui visitado por Polícia Federal. Mantenho a minha dignidade e trago para o povo um legado de respeito, de quem trabalhou efetivamente, cuidou de saúde pública, cuidou da segurança, cuidou da educação”, afirmou de forma enfática.

Ao finalizar sua fala, o ex-governador que foi o responsável pelas maiores obras do estado como a construção de 75% da rede de saúde em funcionamento na capital e no interior, de centros de ensino que são referência no país como a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), reafirmou a diferença que o faz um líder e um gestor competente e largamente reconhecido, como comprovaram as palmas abundantes que recebeu na última segunda-feira (4), durante a solenidade de posse do novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam).

O desembargador Domingos Chalub, que deixou o cargo e o novo presidente, o desembargador Flávio Pascarelli, ambos com mais de 60 anos de idade, são considerados idosos pela legislação brasileira e ninguém questiona a capacidade deles de julgar processos ou de comandar o Tjam. “Não são as pernas que vão te governar. É isso aqui (apontou para a cabeça). Com as bênçãos de Deus é o recado do velhinho aqui. Um abraço a todos”, falou Amazonino Mendes.

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem