VIGIE IRMÃO! Pastor incentiva fieis ao "massacre do sistema judiciário" e chama "STF de maldito e associado ao crime"; veja o vídeo

DA REDAÇÃO BLITZ AMAZÔNICO

O pastor Tupirani da Hora Lores, conhecido por discurso contra judeus, além de praticantes de outras religiões, e gays, dessa vez resolveu atacar o sistema judiciário brasileiro. 

Em um dos seus recentes cultos o líder religioso radical da Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo estimula os fiéis ao "massacre do sistema judiciário", a "aniquilação dos escritórios de advocacia" e em um dos pontos altos do seu discurso a chamar o "STF de maldito e associado ao crime".

Ainda durante o culto, Hora Lores clama a Deus "que a polícia não possa mais prender porque não haverá mais quem julgar", que "os juízes não morram de causas naturais": "Envia um vírus novo para comer a coluna dos juízes malditos do STF,..., desgraçados sejam os componentes do STF", clamou. Durante sua pregação de ódio, em nome de Jesus, os fieis gritam Aleluia.

Vale destacar que o pastor Tupirani da Hora Lores foi alvo da operação da Polícia Federal batizada de Rófesh, uma referência em hebraico, significa liberdade, fazendo alusão às recentes discussões sobre os limites da liberdade de expressão, deflagrada no dia 24 de fevereiro, por estimular ataques a judeus e discriminação de gays. 

Os fiéis da sua igreja chegaram a distribuir cartazes pela cidade com palavras de ordem, tais como: "Bíblia sim, Constituição não". Tupirani foi a primeira pessoa do Brasil a ser presa por intolerância religiosa. 

Ele chegou a ser condenado a 18 anos e seis meses de prisão, porém responde em liberdade.




Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem